Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Equipe vai "jogar pra caramba" por torcedores carinhosos, diz Tite

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Tite não chegou a surpreender ao prever dificuldades do Corinthians sem o apoio da Fiel. O técnico disse não ter na memória um jogo do Timão em que trabalhou com menos de 10 mil torcedores, mas disse que, mesmo com o Pacaembu de portões fechados por punição da Conmebol, os atletas terão motivação suficiente para derrotar o Millonarios.

“Vamos sentir, pode ter certeza absoluta de que vamos sentir. Nunca trabalhei nesse tipo de situação que, em se tratando de Corinthians, é mais difícil ainda”, disse o treinador, antes de se permitir um tom mais otimista. “Vamos jogar pra caramba. É uma nova situação, um novo desafio, uma oportunidade de retribuir aos torcedores carinhosos conosco.”

O gaúcho fez a ressalva de que é preciso “filtrar os que não merecem”, mas apontou o torcedor como “o motivo maior do clube”. “Vamos competir, lutar e merecer vencer, ter esse sabor é inigualável. É isso o que a torcida quer”, acrescentou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Tite confia na possibilidade de o Corinthians superar a ausência da torcida no Pacaembu
A Fiel não é o único fator de motivação apontado pelo treinador. Segundo ele, apesar do estádio vazio na quarta-feira, os jogadores terão razões para se doar em campo que vão além da vontade de premiar os torcedores que não poderão ir ao seu Pacaembu.

“Motivação é um motivo para uma ação. A Libertadores, por si só, é extraordinária. É uma grande competição, que te credencia para o Mundial. Além disso, tem a busca dos atletas pela titularidade, por produzir bem, ter crescimento profissional, reconhecimento da imprensa. E, claro, retribuir ao torcedor, fazer com que ele curta um dia legal, volte a ganhar e deixe a ‘empatite’ de lado”, sorriu Tite, lembrando que o Timão vem de cinco empates seguidos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade