Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Pênalti batido aos 50 do segundo tempo evita derrota do Timão

Marcos Guedes Bragança Paulista (SP)

O Corinthians precisou de um pênalti cobrado por Paolo Guerrero quando o cronômetro já se aproximava da marca dos 51 minutos do segundo tempo para evitar a derrota em Bragança Paulista. No primeiro jogo após a morte do boliviano Kevin Espada, no San José x Timão da última quarta, o campeão mundial perdeu muitos gols na etapa inicial, errou demais na defesa e sofreu para empatar por 2 a 2 com o Bragantino.

Foi o quinto empate seguido dos comandados de Tite, quatro deles no Campeonato Paulista. A série de resultados os deixou na oitava colocação do Estadual, no limite da zona de classificação às quartas de final. O Bragantino está logo atrás e alimenta a esperança de avançar na competição.

Lesões, desgaste físico e cuidado porque tem jogo da Copa Libertadores na quarta fizeram o Corinthians entrar em campo sem cinco titulares – Guerrero foi o único deles que ficou como opção no banco e acabou entrando. Mesmo assim, a criação da equipe agradou Tite, que deve estar preocupado com a fragilidade demonstrada pela antes sólida defesa.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Alexandre Pato teve uma ótima atuação e marcou o primeiro gol do Corinthians em Bragança Paulista
O primeiro tempo foi quase todo dos visitantes, embora o título de visitantes não caiba exatamente em um time cuja torcida era maioria esmagadora no estádio Nabi Abi Chedid. Com Romarinho ativo, com bons passes de Renato Augusto e Douglas e com Alexandre Pato inspirado no um contra um, os visitantes desmontaram constantemente a marcação do Bragantino, que tentava se fechar com três zagueiros e três marcadores no meio.

Em 20 minutos, Pato já havia obrigado Rafael Defendi a trabalhar bem duas vezes. Aos 23, Romarinho tabelou com Renato Augusto e saiu na cara do goleiro, que desviou de leve o chute e viu a bola bater no poste esquerdo. Fábio Santos, após passe inteligente de Douglas, perdeu outra chance dentro da área.

Só no fim da etapa inicial, na primeira bobeira maior da defesa do Corinthians, o Bragantino teve a primeira chance, perdida por Léo Jaime. Cássio defendeu, mas não conseguiu bloquear a conclusão do próprio Léo Jaime, no primeiro minuto do segundo tempo. O camisa 11 apareceu livre, no setor onde deveria estar Edenílson ou Gil, e bateu de primeira para abrir o placar.

Pato empatou logo em seguida, aproveitando sobra de chute de Renato Augusto, mas o Timão não demorou a falhar novamente. Aos 9 minutos, Lincom ganhou pelo alto após batida de falta de Diego Macedo. Cássio chegou a se esticar e defender, porém a bola bateu no poste, no próprio goleiro e entrou.

Tite tentou mandar o Corinthians à frente, trocando Douglas por Guerrero, abrindo Pato. Depois, sacou Paulo André, recuou Ralf e botou Guilherme. O lateral Igor também foi acionado em tentativas frustradas de fazer o time criar como no primeiro tempo.

O empate só foi possível por causa de uma falha gritante de André Astorga, que bateu uma bola para trás. Raphael Andrade meteu a mão na bola, foi expulso e, nos vestiários, só ouviu a festa da Fiel quando a cobrança de pênalti de Guerrero no ângulo esquerdo tocou no travessão e entrou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Partida teve um minuto de silêncio e faixas em homenagem ao garoto boliviano Kevin Espada

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade