Futebol/Campeonato Mineiro - ( - Atualizado )

Presidente do Cruzeiro alfineta Kalil após vitória no clássico

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, não perdeu a oportunidade de cutucar o mandatário atleticano, Alexandre Kalil, após a vitória celeste no clássico de reabertura do Mineirão. No início da temporada, o dirigente alvinegro afirmou que a Raposa passaria uma década sem vencer o Galo, e Gilvan Tavares brincou com essa situação.

“Eu gostaria de lembrar que nosso calendário parece ser diferente do deles. Falaram que a gente ia pagar caro pela derrota de 2011 e que nosso time ficaria 10 anos sem ganhar deles. Começou o ano e a vitória já sorriu para o Cruzeiro. Acho que estes 10 anos passaram depressa demais”, cutucou.

Ainda aproveitando a rivalidade entre os dois maiores clubes de Minas Gerais, Gilvan Tavares ironizou o fato do Atlético-MG mandar seus jogos no Independência e o Cruzeiro ter acertado para atuar no Mineirão. Segundo ele, a vitória celeste neste domingo prova que o Cruzeiro é realmente o dono do Gigante da Pampulha.

“A torcida cantou hoje e já cantava antes de ele ser desativado. O Mineirão é nosso. O Cruzeiro merecia este campo. Time grande como o Cruzeiro, acostumado a grandes conquistas, tem que jogar numa casa com está. A torcida fez sua parte, se comportou bem e o jogo foi típico de Cruzeiro e Atlético-MG”, disse Gilvan Tavares, que tentou explicar os problemas apontados pela torcida no Mineirão.

“O torcedor sofreu porque é a primeira partida, ainda tem muita coisa para ser organizada, a gente pede desculpas à torcida por isso. Os bares estavam fechados por falta de alvará para funcionamento. Essa questão da chegada ao estádio virou um transtorno, um sofrimento. O trânsito estava parado por causa da demora da abertura do estacionamento”, afirmou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade