Futebol/Copa Africana de Nações - ( - Atualizado )

Nigéria bate a surpresa Burkina Faso e soma terceiro título africano

Joanesburgo (África do Sul)

A Nigéria deu um passo importante para firmar novamente a relevância internacional perdida na última década. Neste domingo, no Soccer City, sede da final da Copa do Mundo de 2010, a seleção foi campeã da Copa Africana de Nações com uma vitória por 1 a 0 sobre Burkina Faso com um belo gol do meia Sunday Mba, conquistando o terceiro título da competição e primeiro desde 1994.

Uma das mais tradicionais seleções africanas, a Nigéria se classificou para as edições de 2002 e 2010 da Copa do Mundo, mas não conseguiu repetir o desempenho dos anos 90: as Super Águias não vencem uma partida da maior competição de futebol do mundo desde 1998.

AFP
Com direito a lençol, Sunday Mba marcou o gol do título (Foto: Issouf Sanogo)
Na competição africana, a equipe também não manteve o nível da década de 90. Entre 1988 e 2000, foram três vice-campeonatos, um título e um terceiro lugar; desde então, foram quatro terceiro lugares e nenhuma final. A conquista desse domingo muda isso e aumenta o aproveitamento da Nigéria nas fases finais da competição – foi o terceiro título do país, que foi o vice em quatro ocasiões e terceiro colocado em sete.

Já Burkina Faso, que nunca disputou uma Copa do Mundo, tem um histórico mais discreto. A seleção, que disputou apenas nove das 29 edições da competição, se classificou para a segunda fase apenas pela segunda vez em 2013. Antes dessa final, o melhor resultado da seleção havia sido o quarto lugar em 1998. Neste ano, Burkina Faso tentava repetir o feito da zebra Zâmbia em 2012, que bateu a favorita Costa do Marfim na final, mas não teve sucesso.

O jogo - A Nigéria começou atuando melhor. Marcando presença no campo ofensivo, a equipe contou com uma falha do goleiro Diakite para chegar perto de abrir o placar. Aos dez minutos, o arqueiro burquinense soltou a bola após uma cobrança de escanteio de Victor Moses e Brown Ideye aproveitou para finalizar, mas mandou por cima do gol e perdeu grande chance com o gol aberto.

Após o bom início das Super Águias, porém, o jogo ficou morno e com poucas oportunidades. Enquanto Bance arriscava chutes de longa distância para Burkina Faso mas sem levar nenhum perigo, a Nigéria apostava nas jogadas individuais do meia Victor Moses.

AFP
Kabore aplaude enquanto Burkina Faso perde chance de fechar campanha histórica com chave de ouro (Foto: Francisco Leong)
A aposta da seleção nigeriana se mostrou mais efetiva. Aos 40 minutos, foi uma jogada do jogador do Chelsea que levou à abertura do placar. Moses invadiu a área, cortou um marcador e finalizou. A bola rebateu em um defensor e sobrou para Sunday Mba aplicar um lençol em Koffi e tocar de perna esquerda para balançar as redes. O próprio Bance tentou responder quatro minutos, mas seu voleio da entrada da área subiu muito.

Moses apareceu novamente com apenas três minutos de segundo tempo, carregando a boal em diagonal pela direita e tocando para Brown Ideye na área. O atacante do Dinamo de Kiev avançou e tentou o chute quase sem ângulo perto da linha de fundo, levando perigo.

Burkina Faso tentou chegar ao gol, mas só forçou o goleiro Enyeama a trabalhar aos 28 minutos, quando Sanou bateu cruzado da entrada da área e exigiu boa defesa do arqueiro nigeriano. No final do jogo, a Nigéria ainda teve boas chances para marcar com Burkina Faso indo com tudo para cima, mas a partida terminou com o placar de 1 a 0.

AFP
A Nigéria espantou a zebra Burkina Faso e conquistou o primeiro título de Copa Africana de Nações desde 1994 (Foto: Stephane de Sakutin)

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade