Adventure/Paraquedismo - ( - Atualizado )

Paraquedistas brasileiros tentam mudar norma para consolidar recorde

Boituva (SP)

Edson Ricardo Rossi, de 43 anos, Adalto Novelli, de 36, e Luís Henrique Santos, o ‘Sabiá’, de 42, paraquedistas que quebraram, no último dia 29, o recorde brasileira e sul-americano de saltos individuais praticados no mesmo dia, somando 102 saltos em sete horas, já pensam em novas metas para 2014.

Porém, de acordo com Rogério ‘Ipiranga’ Fleury, de 32 anos de idade, há a expectativa de que, no ano que vem, cinco atletas saltem pelo menos 150 vezes. “Antes disso acontecer, vamos enviar uma solicitação para que a FAI (Federação Aeronáutica Internacional) altere o número de participantes nos saltos”, destacou.

Segundo Ipiranga, que é instrutor e paraquedista profissional, atualmente a norma para a quebra de recorde nesta modalidade aceita entre dois e quatro paraquedistas. O organizador do evento também observou que o apoio terrestre foi fundamental para que a antiga marca de 85 saltos realizados em um único dia por James Dean de Azambuja, em 2000, fosse superada. Para chegar à atual quebra de recorde, os paraquedistas precisaram realizar um salto a cada quatro minutos.

“Chegamos ao Centro Nacional de Paraquedismo, na cidade de Boituva (SP), por volta das 5h. Às 6h45, nosso trio já dava seus primeiros saltos. Por volta das 13h50, haviam batido a meta. Esta fluidez se deu por conta das equipes especializadas que auxiliaram na dobragem e na devolução dos paraquedas aos atletas”, disse.

Uma equipe médica e dois juízes da Confederação Brasileira de Paraquedismo (CBPQ) e da FAI também observaram a decolagem e aterrisagem dos paraquedistas.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade