Motor/Fórmula 1 - ( - Atualizado )

Após encerrar atividades, HRT vende todo material para reciclagem

Madri (Espanha)

Fora da Fórmula 1 após encerrar suas atividades por conta da grave crise financeira que assolava a equipe, a Hispania Racing Team (HRT) teve o ponto final de sua história selado. Segundo o jornal espanhol As, os donos da escuderia venderam todo o seu material ainda disponível para Teo Martín, dono de uma das principais empresas de reciclagem de peças automotivas. O valor da operação não foi divulgado.

Martín comprou da primeira equipe espanhola da Fórmula 1 os dois carros de 2011 e os dois de 2012, além de um caminhão, um carro de exposição, equipamentos de boxes e peças que não haviam sido utilizadas pelos mecânicos e se encontravam na sede da HRT. Os carros, porém, irão para Martín sem os motores, já que estes foram alugados pela Cosworth, assim como os sistemas de transmissão, alugados pela Williams.

A intenção do empresário, no entanto, não é reciclar os carros. Apaixonado por ralis e outras provas de automobilismo, Martín pretende revender as aquisições junto à HRT para colecionadores, tendo estabelecido contatos antes mesmo de fechar o acordo com a empresa.

Criada em 2010 pelo ex-piloto espanhol Adrián Campos, a Hispania viveu momentos turbulentos nos três anos em que esteve na Fórmula 1. Antes mesmo de sua estreia, passou a ser controlada por Colin Krolles, ex-dirigente da Jordan. No ano seguinte, foi vendida para o fundo Thesan Capital, que controlou a equipe até a última temporada, quando desistiu de nela investir. Em três anos, a HRT não somou nenhum ponto na F1.

AFP
Após três anos conturbados na Fórmula 1, a HRT colocou fim à sua história vendendo seus carros para empresa de reciclagem

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade