Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Palmeiras joga mal e é salvo por Henrique, que empata com XV no fim

Piracicaba (SP)

Com as falhas de marcação que já ocorrem frequentemente desde o ano passado, o Palmeiras caminhava para perder do XV de Piracicaba. Mas Henrique marcou seu segundo gol no jogo nos acréscimos e selou o empate por 3 a 3 no estádio Barão de Serra Negra neste domingo.

O zagueiro realmente foi um herói para o time. A equipe jogou muito mal no primeiro tempo, levando gol de Márcio Diogo aos dois minutos, e o camisa 3 empatou aos 38. No segundo tempo, Márcio Araújo virou aos sete, mas cometeu pênalti que Diguinho converteu aos 30. Seis minutos mais tarde, Vinicius Bovi virou mais uma vez, até que Henrique apareceu na área de novo para fazer mais um, aos 47.

O resultado deixa o Verdão com oito pontos, na oitava colocação e dentro da zona de classificação para as quartas de final. Na quinta-feira, o time de Gilson Kleina tenta se recuperar diante do Atlético Sorocaba, às 19h30 (de Brasília), no Pacaembu. No mesmo horário, mas na quarta-feira, o XV visita o São Bernardo.

Arte GE.Net
O jogo – Gilson Kleina falava em comprometimento de seus jogadores para apostar mais uma vez no 4-3-3 sem prejuízos no setor defensivo. Mas a marcação sob pressão no campo adversário que o treinador tanto cobra aconteceu somente por alguns segundos. E a consequência disso foi muito rápida.

Aos dois minutos da partida, todos os atletas olharam o toque de bola do XV de Piracicaba, até que Janilson pôde dominar sob observação à distância de Ayrton, com espaço suficiente para levantar a cabeça e encontrar Márcio Diogo completamente desmarcado. O atacante pôde escolher o canto em que ia cabecear para abrir o placar.

E nada deu certo ao Verdão em Piracicaba. A marcação se limitava a Ayrton e Juninho, ambos sem grande capacidade defensiva, e Márcio Araújo, que não conseguia ajudar Henrique e Mauricio Ramos. Com constantes deslocamentos, e apostando principalmente na velocidade de Paulinho, o XV dominou o primeiro tempo.

O Palmeiras dava tanto espaço que até os volantes mais marcadores dos anfitriões apareciam para tentar fazer gol. Jairo teve duas chances, Paulinho outras duas e Diguinho também só não marcou graças a Fernando Prass. O ala Adriano, aproveitando-se do espaço nas costas de Juninho, foi parado por um milagre do goleiro.

A atuação era tão ruim que um lance bizarro quase se tornou gol contra, aos 35 minutos, quando a bola passou por Fernando Prass e Márcio Araújo deu um chutão em cima de Juninho. Quando tinha a bola, o Verdão logo a perdia com domínio errado de Maikon Leite. Só um chute de Barcos e outro de Wesley levaram perigo aos anfitriões.

Até que, aos 38 minutos, Luiz Eduardo também esteve perto de um gol contra ao cabecear para fora. Na cobrança de escanteio, Maikon Leite encontrou Henrique completamente desmarcado. O zagueiro teve espaço para dominar e escolher o canto direito de Bruno Fuso para empatar.

Apesar do placar igual, os erros na etapa inicial fizeram até Vinicius sofrer, virando quase um lateral esquerdo para ajudar os colegas de defesa. Gilson Kleina, então, corrigiu a equipe, desistindo do 4-3-3 trocando Vinicius pelo volante João Denoni.

A mudança surtiu efeito. O XV de Piracicaba já não tinha espaço no meio-campo e apresentava problemas na marcação. Um deles foi aproveitado por Márcio Araújo, que arrancou pela esquerda e passou pela marcação até chutar de canhota para alcançar a virada no placar, aos sete minutos do segundo tempo.

Após ficar à frente no marcador, o Verdão já não dava mais espaços. Só faltava ter a posse de bola para dominar o jogo. E este fator foi decisivo. Aos 30 minutos, Diguinho dominou lançamento, não foi desarmado por Ayrton e ainda foi vítima de um bote de Márcio Araújo na grande área. Pênalti que o próprio meia bateu para igualar o marcador.

E o Palmeiras, mais uma vez, se perdeu na partida. O XV pressionou, conseguiu uma sequência de escanteios e, aos 36 minutos, só não marcou com Vinicius Bovi porque Fernando Prass fez mais um milagre na noite. Mas, no lance seguinte, Luiz Eduardo acertou o travessão e, no rebote, Bovi não falhou ao chutar de primeira.

A derrota parecia certa, até que a má atuação do time de Gilson Kleina teve suas consequências diminuídas em cruzamento de João Denoni que Henrique completou nas redes, já nos acréscimos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade