Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Técnico discorda de pênalti e admite problema emocional no Palmeiras

Piracicaba (SP)

Após uma péssima atuação no primeiro tempo, Gilson Kleina viu o Palmeiras dominar o XV de Piracicaba, vencendo por 2 a 1. Situação que mudou aos 30 minutos do segundo tempo, quando o árbitro marcou pênalti de Márcio Araújo em Diguinho e iniciou uma virada do time da casa, que só não se confirmou graças a gol de Henrique nos acréscimos, selando o 3 a 3.

“Respeito a arbitragem, mas os dois colocaram a bola para cima. É só ver a trajetória da bola”, contestou o treinador, lembrando do duro bote dado por Márcio Araújo no meia. Lance contestado, e com consequência imediata em campo. “O pênalti deu uma desequilibrada, e aí vem o lado emocional que estamos trabalhando.”

Lidando com um elenco composto em quase sua totalidade por atletas que atuaram no rebaixamento do clube no Campeonato Brasileiro do ano passado, o técnico sabe que a parte psicológica dificulta. Sua intenção é que todos mantenham a concentração sem ceder ao desespero mesmo em meio a situações negativas.

“É necessária atenção até o final. O que não pode é tomar gol e desorganizar”, comentou. “Precisamos de resultados positivos, mas sempre coloco para os jogadores ficarem tranquilos. Foi o que passamos no intervalo”, disse, enfatizando prejuízo em seu trabalho com a sequência do jogo no segundo tempo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade