Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Acostumado ao campo, Cícero vê Peixe em vantagem no Morumbi

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Ex-jogador do São Paulo, o meia Cícero conhece bem o gramado do Morumbi, palco do clássico entre a sua atual equipe, o Santos, e o Corinthians, que será realizado no próximo domingo. Por isso, ao contrário do técnico do Peixe, Muricy Ramalho, que criticou abertamente a decisão da diretoria santista de não ingressar com o pedido de efeito suspensivo para atuar na Vila Belmiro, o meio-campista lamentou não poder jogar em casa, mas acredita que o time alvinegro pode tirar proveito da mudança de campo para o clássico.

“A nossa casa é a Vila Belmiro, onde a nossa equipe está acostumada a jogar. O gramado fica mais perto do nosso torcedor. Apesar disso, nós temos muita torcida em São Paulo. É questão deles (dirigentes), mas temos que acatar e fazer o nosso melhor. O Morumbi é um campo grande, que dá mais espaço para você jogar. É algo que pode ser bom para o nosso time”, analisou Cícero, autor de quatro gols pelo Santos no Campeonato Paulista.

Vale lembrar que o Peixe foi punido pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo (TJD-SP), em um jogo por conta do episódio em que o meia Paulo Henrique Ganso foi alvo de uma “chuva de moedas”, na vitória santista sobre o São Paulo, no último dia 3.

Luiz Pires/VIPCOMM
Nos tempos de São Paulo, Cícero balançou as redes do Morumbi e espera ser herói no clássico com Timão
A cúpula alvinegra optou por não tentar um efeito suspensivo, que caso aprovado pelo TJD-SP, liberaria a Vila para receber a partida. O clube praiano priorizou a possibilidade de obter um lucro maior, jogando no Morumbi, que tem capacidade para receber 67 mil espectadores.

Sobre o adversário, Cícero pregou respeito ao Timão e minimizou a possibilidade de o rival ir a campo com uma formação composta na sua maioria por reservas, em virtude da maratona de partidas dos corintianos, que dividem as atenções entre o Estadual e a participação na Copa Libertadores da América.

“O Corinthians é bastante competitivo, independentemente de eles jogarem no meio de semana (contra o Millonarios-COL, nesta quarta-feira, no Pacaembu) ou não. O Santos não tem obrigação de ganhar, mas estamos nos preparando para sairmos vitoriosos desse clássico”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade