Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Muricy ironiza críticas de inglês Barton a Neymar: “Não sei quem é”

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

As declarações do meia inglês, Joey Barton, do Olympique de Marselha (França), criticando o atacante Neymar por conta de sua atuação na derrota da Seleção Brasileira para a Inglaterra, por 2 a 1, na última quarta-feira, em Londres, ainda repercutem no meio do futebol. Depois de a Joia rebater as afirmações de Barton e ver o jogador britânico disparar ainda mais críticas contra o seu futebol, foi a vez de o técnico do Santos, Muricy Ramalho, comentar o assunto.

“Sobre esse rapaz, não sei quem ele é. Isso não é desprezo. Simplesmente, não conheço esse rapaz. É muito blá... blá... blá. O fato é que o Neymar é reverenciado pelo mundo todo”, afirmou Muricy, saindo em defesa do seu comandado.

Com a insistência no assunto, o treinador santista completou, em tom forte: “Conheço o Pelé e o Neymar, mas esse cara não sei quem é”, disparou.

Durante a partida na qual o Brasil perdeu para o English Team, Joey Barton, famoso por suas polêmicas extra-campo, declarou: “Esse garoto Neymar é massivamente superestimado. Não está no mesmo nível de Messi ou Ronaldo”.

No dia seguinte, com a resposta do camisa 11 do Peixe e da Seleção de que não “o conhecia e queria ter ajudado mais a sua equipe”, Barton continuou criticando Neymar. “Eu vou me apresentar para ele quando ele resolver deixar o seu santuário na Liga Amazônica da selva”, postou o inglês, que, após ser acusado de xenofobia por outros usuários da rede social, apagou o seu comentário do Twitter.

A repercussão negativa ainda motivou uma série de outras postagens em que o meio-campista se defendeu. “Parece que o Neymar não ficou feliz com o que eu disse para ele. Eu só afirmei que esperava mais de um jogador tão badalado. O futebol é um jogo de opiniões. Se você não gosta delas, o futebol não é um jogo para você. Eu não sei como as pessoas aceitam as críticas de jornalistas e acham os comentários de outros atletas ofensivos. É perverso”, disse.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade