Vôlei/Seleção Brasileira - ( )

Tandara ignora posição e quer aproveitar folga das ‘véia’ na Seleção

André Sender São Paulo (SP)

A Seleção Brasileira feminina de vôlei deve dar folga a alguma de suas atletas em 2013 e 2014 após a extenuante campanha até a medalha de ouro dos Jogos Olímpicos de Londres-2012. As principais contempladas com o descanso devem ser as veteranas, o que abrirá espaço para jogadoras até então com poucas chances no time titular, como Tandara.

A jogadora do Sesi, maior pontuadora da fase classificatória da Superliga, nem cogita pedir afastamento temporário do time nacional ao técnico José Roberto Guimarães. Pelo contrário, planeja utilizar o período de descanso das atletas consagradas para ser titular da Seleção, seja como ponta ou oposto, e se firmar no grupo para as Olimpíadas do Rio de Janeiro-2016.

“Tenho muito o que crescer ainda, aprimorar várias coisas. Estou chegando agora e ainda sou nova. Deixa essa folga para as ‘véia’”, brincou a atleta, de 24 anos de idade, em visita à redação da Gazeta Esportiva.net.

Tandara chegou à Seleção Brasileira em 2011, após se destacar na equipe nacional “B” e logo ganhou espaço dentro do grupo comandado por Zé Roberto. Foi chamada para os Jogos Pan-americanos de Guadalajara daquele ano como reserva da oposto Sheilla e marcou o ponto que garantiu a medalha de ouro ao País na vitória por 3 a 2 sobre Cuba na final.

Desde então, passou a ser presença certeira nas convocações da Seleção e sobreviveu aos polêmicos cortes no time para formar o grupo que foi a Londres-2012. Na decisão do treinador que mais gerou repercussão, foi mantida no time enquanto a estrela Mari acabou dispensada. Na Inglaterra, passou mais tempo no banco de reservas do que em quadra, mas voltou para casa com a medalha de ouro no pescoço.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Tandara (última da direita na fileira de cima) marcou o ponto que deu o ouro ao Brasil no Pan de Guadalajara
“Para mim está sendo tudo muito rápido, em pouco mais de um ano de Seleção já sou campeã olímpica, fui para dois Grand Prix. Brinco com a minha mãe ‘espero que isso não acabe e venha mais coisa ainda mais rápido’, porque a sensação de estar lá dentro é muito boa”, disse a jogadora.

Tandara iniciou a carreira como oposto, mas desde a temporada 2010/2011 atua como ponteira passadora, posição em que se destacou no Vôlei Futuro, Sollys/Nestlé e agora como maior pontuadora da Superliga no Sesi. Na Seleção, no entanto, ela ainda joga em sua posição original e enfrenta a dura concorrência de Sheilla por um lugar no time.

Com a folga das veteranas, a jogadora do Sesi pode ganhar espaço na equipe titular nas duas posições em que atua, e se coloca à disposição para jogar em qualquer uma delas.

“O que vier, estou fazendo. Estou me sentindo muito segura em fazer as duas posições, o que eu não tinha antes. Se eu jogar passando, vai ter alguém me ajudando. Como jogar na saída também não tem problema, foi a posição em que eu sempre joguei, então não tenho tanta preferência. Onde tiver que jogar, eu vou jogar”, afirmou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade