Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Alessandro não disputa mais de três jogos seguidos e vira exemplo

Helder Júnior São Paulo (SP)

Capitão do Corinthians nas conquistas da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes do ano passado, o lateral direito Alessandro vira exemplo por suas atitudes até quando está inativo. O Guerreiro, como é chamado por companheiros, passou a ser exaltado por saber se poupar fisicamente a cada três jogos.

“O Alessandro disputa três jogos seguidos no máximo para não se machucar”, contou, orgulhoso, o zagueiro Paulo André. O defensor participou de um seminário sobre os problemas do calendário do futebol brasileiro nesta terça-feira.

Para Paulo André, a postura de Alessandro é fundamental para minimizar os efeitos negativos de uma pré-temporada curta. O meia Renato Augusto, por exemplo, virou vítima do problema ao sofrer uma lesão muscular na coxa direita na vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, na rodada passada do Campeonato Paulista. Ficará quase um mês afastado para se recuperar.

“Falei para o Renato Augusto olhar para o Alessandro, que está com 34 anos e demorou tudo isso para entender e respeitar os limites do corpo. O Renato Augusto falou que aquela era a sexta partida seguida dele. Ele ficaria fora, mas resolveu jogar. Agora, o prejuízo financeiro para o clube é muito grande”, lamentou Paulo André.

Divulgação/Agência Corinthians
Paulo André citou Alessandro como exemplo para Renato Augusto não se lesionar (foto: Daniel Augusto Jr.)
Próximo da aposentadoria, Alessandro também estava acostumado a conviver com as lesões no início de sua trajetória no Corinthians. Após perder jogos importantes e até espaço como titular – Edenílson havia ganhado a vaga na lateral direita no início da Libertadores de 2012 –, o veterano resolveu começar a se poupar.

O gesto de Alessandro é bom também para o versátil Edenílson, cada vez mais utilizado pelo técnico Tite. No setor ofensivo, Renato Augusto abriu espaço para jogadores como Emerson, Jorge Henrique e Douglas se firmarem. “O Renato era um dos nossos jogadores que vinham se destacando, mas temos outros para suprir o desfalque”, concordou Paulo André.

É provável que Renato Augusto seja mais cauteloso no decorrer da temporada. O meia revelado pelo Flamengo também tem um histórico de lesões. Para esses casos, Paulo André (outro atleta que se habituou ao departamento médico) faz recomendações além da estratégia de não disputar mais de três partidas consecutivas.

“Sabemos que o corpo de cada um reage de maneira diferente, ainda mais se você já tem um histórico. Por isso, o Alessandro, o Danilo e eu geralmente treinamos nos últimos 15 dias das nossas férias. Fazemos isso porque o tempo de preparação é curto. Sinceramente, sem isso, eu passaria vergonha no começo do ano e iria para a reserva”, disse Paulo André.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade