FutebolCampeonato Paulista - ( )

Após se calar com escalação 'errada' de Felipão, Márcio Araújo sorri

William Correia São Paulo (SP)

Contratado em 2010 a pedido de Muricy Ramalho para ser o terceiro homem do meio-campo, Márcio Araújo passou mais de dois anos escalado por Luiz Felipe Scolari como lateral direito ou, principalmente, primeiro volante. Foi tão criticado que passou a ser reserva. Mas nunca reclamou. E não faz isso nem agora, em meio a atuações convincentes como jogador que faz a ligação da defesa ao ataque.

“Na fase boa é muito fácil se defender e criticar, mas não vou falar mal dos outros. Digo que estou na minha posição, aproveitando a minha chance”, indicou o jogador, que neste ano facilmente abre sorrisos ao comentar sua situação. Até um período de artilheiro, com três gols em três jogos seguidos, ele já viveu em 2013.

“No futebol, existem muitos altos e baixos. Temos que viver um momento de cada vez. Vivi momentos difíceis, mas soube esperar para jogar em uma posição que sempre gostei para atuar melhor”, comemorou o meio-campista.

Quieto, sempre aparentando tranquilidade, Márcio Araújo vê como virtude saber suportar críticas em prol do elenco, como fez sob o comando de Felipão, se prejudicando até para marcar por Marcos Assunção. “Nunca vou chegar a alguém da comissão técnica e falar que não quero jogar em uma posição ou que não aceito me sacrificar”, avisou.

“Com meu trabalho em xeque ou as pessoas falando bem ou mal de mim, vou dar o meu máximo. No futebol tem muita vaidade, o jogador quer ser sempre bem falado, mas o que conta é calma, tranquilidade e fé”, ensinou o volante, curtindo a época de paz com os críticos.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Primeiro volante ou lateral entre 2010 e 2012, Márcio Araújo teve até fase artilheira com a liberdade dada por Kleina

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade