Futebol/Copa Libertadores - ( )

Corintianos apontam grama sintética para justificar atuação ruim

Tijuana (México)

A atuação do árbitro Victor Hugo Carrillo e de seus assistentes não foi a única justificativa apontada pelos jogadores do Corinthians para a derrota por 1 a 0 para o Tijuana. O gramado sintético do estádio Caliente foi citado por todos os atletas que concederam entrevista após a partida.

“É difícil. Na grama sintética, não deu para trabalhar a bola, que é a característica da nossa equipe. O time deles sabe jogar aqui, tem artimanhas. A gente não conseguiu jogar da maneira que queria”, analisou o meio-campista Renato Augusto, que teve jornada péssima.

“Não é desculpa, mas o gramado é horrível. Fica difícil jogar”, afirmou o atacante Alexandre Pato, usando palavras semelhantes às escolhidas pelo meio-campista Danilo: “Sabíamos que a equipe deles tinha qualidade, mas não dá para jogar neste campo”.

Divulgação/Agência Corinthians
Fábio Santos não conseguiu fazer as tabelas de costume com Danilo pelo lado esquerdo (foto: Daniel Augusto Jr.)
Foi na troca de passes que as dificuldades com o gramado foram mais facilmente observadas. O atual campeão da Copa Libertadores construiu poucas jogadas bem trabalhadas e não chegou a ameaçar os donos da casa depois de levar o gol de Gandolfi.

“Vou dar um dado técnico. A equipe deles marca bem pertinho porque conhece a característica do gramado. É muito difícil fazer duas, três triangulações, sentimos essa dificuldade”, comentou o técnico Tite, em sua primeira derrota na competição desde a inesquecível eliminação para o Tolima em 2011.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade