Futebol/Campeonato Mineiro - ( - Atualizado )

Cruzeiro vence Villa Nova e agora é o único invicto do Mineiro

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

Cruzeiro e Villa Nova fizeram um bom jogo de futebol neste sábado, no estádio Castor Cifuentes, em Nova Lima. O Leão enfrentou a Raposa de igual para igual, mas acabou pagando caro pelos erros defensivos, e foi derrotado por 4 a 2, primeiro revés do Villa Nova no Campeonato Mineiro. Com isso, o Cruzeiro é único invicto e lidera a competição com 22 pontos.

O primeiro gol do jogo foi anotado pelo avante Borges, que aproveitou uma furada do zagueiro Heitor e mandou a bomba de fora da área. O Cruzeiro voltou a balançar as redes com Léo, que desviou cobrança de falta de Dagoberto. Ainda no primeiro tempo, o Villa Nova diminuiu o placar com Tchô em cobrança de pênalti, que ele mesmo sofreu.

Na volta para a etapa complementar, o Leão voltou mais agressivo, e empatou com Eraldo. O Cruzeiro respondeu com Ricardo Goulart, que saiu do banco de reservas para fazer a diferença no jogo, ao anotar o terceiro e o quarto tentos celestes, garantido a vitória e mais três pontos para a Raposa.

Na sequência do Campeonato Mineiro, o Cruzeiro terá pela frente o clássico contra o América-MG, marcado para 7 de abril, no Mineirão. Já o Villa Nova jogará no mesmo dia, mas o Leão do Bonfim vai sair de casa para visitar o América-TO, no estádio Nassri Mattar.

O jogo – O duelo entre o Leão e a Raposa começou quente, e com menos de dois minutos de jogo, o torcedor presente no Alçapão do Bonfim já tinha presenciado duas boas chances de gol, uma de cada lado. Com um campo de dimensões reduzidas, a todo o momento a bola rondava as áreas de Villa Nova e Cruzeiro, dando dinamismo à partida.

Divulgação/Cruzeiro E. C.
Com os quatro gols deste sábado, Cruzeiro roubou do Atlético-MG o posto de melhor ataque da competição

Sem se intimidar com o Cruzeiro, o time do técnico Alexandre Barroso encarou a Raposa de igual para igual, exercendo uma marcação forte em cima dos principais atletas celestes, o que chegou a irritar alguns jogadores da equipe da capital. Aos 12, o Leão quase chegou ao gol com o armador Tchô, que finalizou cruzado para boa defesa de Fábio. No minuto seguinte, os cruzeirenses deram a resposta de forma mortal.

No primeiro lance de vacilo defensivo do Villa Nova, com um erro incrível do zagueiro Heitor, o matador Borges apareceu para acertar um chute de rara felicidade, de fora da área, para abrir o placar para o Cruzeiro e esfriar o ímpeto inicial do time da casa. Depois de se recuperar do gol, o Leão do Bonfim voltou a agredir a Raposa, mas dando espaços para o contra-ataque, tornando o jogo dinâmico.

Apesar da insistência do Villa Nova, foi o Cruzeiro que voltou a balançar as redes. Aos 26, Dagoberto cobrou falta pela direita e o zagueiro Léo antecipou a defesa, desviando de cabeça para o fundo das redes de Thiago Braga e levando o torcedor celeste à loucura nas arquibancadas do Alçapão do Bonfim. Aos 33, Tchô fez jogada individual e foi derrubado dentro da área. O árbitro Ronei Cândido Alves não titubeou e marcou pênalti. O próprio Tchô cobrou e diminuiu o marcador.

O gol do Villa Nova garantiu emoção para o segundo tempo, que continuou bastante movimentado, com o Leão tentando o empate e o Cruzeiro respondendo no contra-ataque. Aos seis minutos, Tchô fez excelente jogada pela direita e cruzou com perfeição, o avante Eraldo mostrou oportunismo, antecipou a zaga e deixou tudo igual no marcador do Alçapão do Bonfim.

Os donos da casa não se contentaram em segurar o empate e seguiram atacando em busca da virada, o que forçou o técnico cruzeirense, Marcelo Oliveira, a alterar a Raposa, na tentativa de melhorar o desempenho da equipe. As oportunidades de gol seguiram se alternando em uma partida que com certeza agradou muito quem gosta de assistir a um jogo aberto e movimentado.

Ricardo Goulart entrou no lugar de Diego Souza, e em pouco tempo fez a diferença. Aos 18, o atleta aproveitou rebote dentro da área do Villa Nova, limpou a marcação e empurrou para as redes de Thiago Braga, recolocando o Cruzeiro em vantagem no placar. Aos 24, voltou a brilhar a estrela de Ricardo Goulart, que foi mais rápido que a defesa e teve calma para marcar o quarto gol dos visitantes.

Com o placar dilatado, a equipe celeste começou a administrar o tempo para comemorar mais uma vitória no Mineiro. Demonstrando cansaço de baixo de uma forte chuva, o Villa Nova ainda tentou atacar o time da capital, mas teve que se contentar com a primeira derrota no estadual.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade