Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Desânimo de Luis Fabiano, “50% do Tricolor”, não atinge companheiros

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Suspenso por quatro partidas da Copa Libertadores em função da expulsão diante do Arsenal de Sarandí, realizada no último dia 7 de março, o atacante Luis Fabiano vive um momento de instabilidade no São Paulo. Nas últimas três rodadas do Campeonato Paulista, ele não comemorou efusivamente os gols marcados e, após o jogo contra o Bragantino, no último sábado, deu a entender que está sendo perseguido no clube e ainda sofre com “algumas coisas que acontecem”.

Nesta segunda-feira, data de reapresentação do grupo antes do confronto diante do Paulista de Jundiaí, pela 15ª rodada do Estadual, o atacante Wallyson e o meio-campista Maicon foram escolhidos pelo clube para conceder entrevista coletiva. De acordo com os dois jogadores, internamente, o Fabuloso não tem se comportado de maneira diferente. O companheiro de ataque ainda fez questão de apontar que o camisa 9 representa “50% do time do São Paulo”.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Luis Fabiano mostrou insatisfação no discurso, mas segue normal no comportamento
“Todo mundo sabe que nossa equipe precisa dele, que ele é o homem gol, e dentro ou fora de campo sempre conversa com os mais novos. É um cara muito importante, vai fazer uma falta muito grande, mas vamos esperar para ver se o São Paulo vai conseguir alguma coisa para ele voltar mais rápido e ajudar nossa equipe”, disse Wallyson, apostando na obtenção de um recurso por parte do departamento jurídico. “Ele é 50% do time, porque nos ajuda muito. Ele está sempre conversando sobre onde gosta de receber a bola, essas coisas”, completou.

De acordo com o ex-cruzeirense, ainda, Luis Fabiano não mudou seu comportamento dentro do CT da Barra Funda ou durante os jogos, mesmo estando sem comemorar gols: “É um cara na dele, brinca com todo mundo. O jeito de comemorar gol não sei por que mudou, mas o importante é fazer gols, ajudar a equipe. A gente sabe que dentro da área ele é perigoso e vamos precisar dele para marcar. Nosso grupo é muito bom, todo mundo brinca, está feliz”.

Ao contrário de Wallyson, Maicon não negou os problemas do Fabuloso, mas preferiu acreditar que eles serão superados rapidamente: “Estou por fora. O ambiente é muito bom, então não vejo que tem nada. O Luis todo jogo faz gol para gente, eu queria estar desanimado igual a ele. Nos treinamentos, nos jogos, ele vem se dedicando e ajudando bastante, tenho certeza que vai continuar”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade