Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Diretor são-paulino banca Ney Franco no cargo até o fim do ano

Sarandí (Argentina)

Foi rápida a resposta da cúpula são-paulina depois da derrota por 2 a 1 para o Arsenal, nesta quinta-feira. Assim que a partida em Sarandí terminou, Adalberto Baptista, diretor de futebol, bancou a permanência de Ney Franco no comando técnico até o fim do contrato.

"A comissão técnica vai ter a máxima tranquilidade para exercer o trabalho, apoio de 100%. Não há qualquer risco de haver qualquer mudança neste ano", disse o dirigente, no vestiário do Estádio Julio Grondona, não sem lamentar o tropeço, que complica ainda mais a equipe no grupo 3 da Libertadores.

"O time foi bem. Foi uma infelicidade tomar o segundo gol. Depois do empate, tínhamos amplas chances de ter feito o segundo gol e não fizemos. Agora vamos ter buscar a vitória em dois jogos difíceis para conseguir a classificação", acrescentou Adalberto, referindo-se aos duelos contra The Strongest e Atlético-MG.

AFP
Tropeço são-paulino pressiona ainda mais o técnico Ney Franco, embora a diretoria negue publicamente

Quarto colocado, com três pontos ganhos (um a menos do que São Paulo e Arsenal), o time boliviano jogará contra a equipe de Ney Franco em casa, na altitude de 3.600 metros de La Paz. Diante do Atlético-MG, a partida será no Morumbi. O problema é que o time mineiro faz ótima campanha e lidera a chave, tendo 100% de aproveitamento.

Surpreendido pelo até então lanterna nesta quinta-feira, o São Paulo volta a campo no domingo para defender a liderança do Campeonato Paulista, diante do Oeste, como mandante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade