Futebol - ( )

Estudo e renovação são segredos de Tite, afirma zagueiro

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Tite chegou a prever o fim de seu ciclo no Corinthians em dezembro, quando acaba o seu contrato, mas já se mostra aberto à possibilidade de continuar no clube. De acordo com o zagueiro Paulo André, não há motivo para encerrar a parceria, que, no fim do ano, terá pouco mais de três anos de duração.

“O brasileiro não tem muito o costume de manter o técnico por tanto tempo, mas o Tite é um cara estudioso e vem se renovando. Se ele fosse o mesmo cara que chegou aqui em 2010, o tempo estaria se esgotando. Mas, a cada treino, a cada jogo, ele adiciona estratégias, coisas diferentes”, afirmou o beque.

“A gente continua aprendendo, é estimulado a trabalhar com ele. O clube tem muito a ganhar com isso. É um excelente treinador. Para mim, o mais diferenciado do Brasil no momento”, acrescentou Paulo André, um dos que têm a confiança do chefe no rodízio de capitães do Timão.

Segundo o zagueiro, o modelo adotado no Corinthians pode ser utilizado na Seleção Brasileira. Se não embarcou totalmente na sugestão de Pelé de ter o clube como base para a equipe verde-amarela, apontou o esquema de Tite como um possível modelo.

Divulgação/Agência Corinthians
Tite já fala em ajudar a mudar a cultura do futebol brasileiro e ficar no Timão (foto: Daniel Augusto Jr.)
“O sistema do Corinthians e as estratégias que vêm sendo utilizadas certamente são as melhores do Brasil de hoje. Isso seria de grande valia para a Seleção porque ela não tem tempo de treinar. A engrenagem anda praticamente sozinha, quem entra joga bem. Talvez seja o que falta à Seleção”, comentou.

Alimentando uma pequena esperança de ser convocado – ele indica Gil, Ralf e Paulinho como seus candidatos ao time nacional –, Paulo André procurou não se indispor com Luiz Felipe Scolari. Ainda que Tite seja “o mais diferenciado”, não é hora de pleitear mudanças.

“Agora não é hora de falar disso. Tem de se apoiar a escolha que foi feita, até porque não há tempo hábil para qualquer mudança. O trabalho aqui já tem quase três anos. Também não foi no primeiro ano que tudo se encaixou. Os jogadores ganharam confiança no que o Tite propôs ao longo do tempo. Esse período longo faz diferença, desde que o treinador tenha conhecimento, inovação e não caia na mesmice”, concluiu o zagueiro, fechando a rodada de elogios ao chefe.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade