Futebol/Mercado - ( )

Ex-auxiliar de Dunga e ídolo como jogador, Jorginho assume Flamengo

Rio de Janeiro (RJ)

No dia seguinte à demissão de Dorival Júnior, que não aceitou reduzir o salário pela metade e deixou o Flamengo no início da noite do último sábado, o clube já anunciou seu novo comandante para a sequência do Campeonato Carioca. Com contrato válido até dezembro de 2014, Jorginho Campos, ex-jogador rubro-negro, e ex-auxiliar de Dunga na Copa do Mundo de 2010, já começa a trabalhar na segunda-feira.

Após a derrota diante do Resende, de virada, na última quarta-feira, o diretor executivo do clube, Paulo Pelaipe, embarcou para Porto Alegre, de onde retornou apenas neste domingo. Na cidade do Rio e Janeiro, o dirigente flamenguista se reuniu com outros membros da cúpula e com Jorginho, primeiro nome da lista após a saída de Dorival. O acerto foi rápido e finalizado às 21 horas (de Brasília), de acordo com a publicação do site oficial do clube.

"Jorginho é um profissional com larga experiência internacional, passagem pela Seleção Brasileira, íntegro, respeitado, com história no clube como jogador. Certamente é um ótimo nome para o futebol do Flamengo”, celebrou Wallin Vasconcelos, vice-presidente de futebol do clube. O novo comandante aceitou a política salarial empreendida pela nova diretoria e teve o perfil enaltecido como “jovem, estudioso do futebol, com grande liderança e identificação com a história do clube”.

Lateral direito revelado nas categorias de base do América-RJ, Jorginho se tornou nacionalmente conhecido a partir de 1984, quando assinou contrato com o Flamengo e, no clube, permaneceu até 1989, conquistando uma edição do Campeonato Carioca e a Copa União de 87. Vendido para o Bayer Leverkusen, da Alemanha, o então jogador ainda defendeu Bayern de Munique e Kashima Antlers anter de retornar ao futebol brasileiro e encerrar a carreira com passagens por São Paulo, Vasco e Fluminense.

Na Seleção Brasileira, Jorginho conquistou a Copa América de 1989 e a Copa do Mundo de 94, além da medalha de prata nas Olimpíadas de Seul, em 88. Em 2005, começou a carreira de treinador no América-RJ, tendo causado repercussão sua sugestão da mudança de mascote do clube: um diabo por uma águia, por conta de sua orientação religiosa.

No ano seguinte à primeira experiência como treinador, Jorginho partiu ao lado do amigo Dunga para ser auxiliar na Seleção Brasileira, conquistando a Copa América de 2007, o bronze olímpico de 2008 e a Copa das Confederações de 2009. Na Copa da África do Sul, a equipe canarinho caiu nas quartas de final.

De volta ao trabalho em clubes em agosto de 2010, comandou o Goiás em boa parte da campanha do vice-campeonato da Sul-americana, mas não suportou o iminente rebaixamento para a Série B do Brasileirão. Em março de 2011, assumiu o Figueirense e deixou a equipe em sétimo lugar no Brasileirão, contando com jogadores como Wellington Nem, Maicon e Bruno. Na temporada seguinte, voltou ao Kashima Antlers como treinador e durou exatamente um ano, sendo dispensado em dezembro.

Sem trabalhar desde dezembro de 2012, Jorginho passou os últimos meses realizando estágio no Barcelona e no Real Madrid. O novo treinador do Flamengo comanda sua primeira atividade nesta segunda-feira e já estará no banco de reservas no sábado, quando a equipe encara o Boavista pela segunda rodada da Taça Rio.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade