Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Expulsões preocupam Ceni: "Temos que tentar acabar com 11"

Tossiro Neto Guarulhos (SP)

Líder maior do elenco são-paulino, Rogério Ceni espera que seus colegas não caiam na pilha argentina nesta quinta-feira. No embarque do time para Buenos Aires, o goleiro pediu cuidado para que, contra o Arsenal, ninguém seja expulso. No domingo, o zagueiro Lúcio recebeu cartão vermelho diante do Palmeiras e deixou o time com um a menos por 40 minutos.

"Jogos assim são de muita provocação, são faltosos e violentos, em certas ocasiões. Na Libertadores, tem que ter cabeça boa, tentar acabar com 11 (jogadores), senão você acaba sendo pressionado no fim do jogo", alertou, na manhã desta quarta-feira, em Guarulhos.

Na semana passada, antes de Lúcio deixar o jogo do Campeonato Paulista mais cedo, Luis Fabiano foi expulso por reclamação já depois do apito final do empate por 1 a 1 com o Arsenal, no Pacaembu. Desfalque nesta quinta-feira, o atacante não viajou com a delegação, a exemplo do volante Wellington, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

A prevenção de cartões então voltou a ser assunto de Ney Franco com o elenco. O treinador pensava ter resolvido esse problema na temporada passada, porém admitiu a necessidade de voltar a cobrar os jogadores a importância de não serem advertidos desnecessariamente.

A última reunião com o grupo será nesta quarta-feira, em trabalho de reconhecimento do Estádio Julio Grondona. A partida, válida pela quarta rodada do grupo 3 da competição continental, está marcada para 21h30 (de Brasília) desta quinta.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade