Futebol/Bastidores - ( )

Fora da lista, Arouca mira volta após falha contra Inglaterra

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Presença constante na Seleção Brasileira nas últimas partidas com o ex-técnico canarinho, Mano Menezes, e na primeira convocação feita pelo novo treinador, Luiz Felipe Scolari, o volante Arouca não foi chamado por Felipão para os amistosos contra Itália, no próximo dia 21, na Suíça, e Rússia, dia 25, na Inglaterra. Mas o fato de o seu nome ter sido preterido pelo atual comandante da Seleção não preocupa o meio-campista do Santos.

Arouca destacou que não ter sido convocado lhe dá ainda mais força para trabalhar intensamente, para voltar a vestir a camisa do Brasil. “Claro que queria estar na convocação, mas não vou abaixar a cabeça por causa disso (não ter sido lembrado). Pelo contrário, já que isso serve de motivação para mim. É algo que me faz continuar trabalhando forte e me dedicando, para ter novas oportunidades no futuro”, disse.

Indagado se pensa que Luiz Felipe Scolari não lhe deu uma nova chance no time canarinho, devido a sua falha no segundo gol da derrota brasileira para a Inglaterra, no amistoso disputado no dia 6 de fevereiro, em Londres, o volante não acredita nesta hipótese.

No ponto de vista de Arouca, Felipão é experiente o suficiente no futebol para saber que um jogador não pode ser julgado por apenas um lance. “Acho que a pessoa correta para responder essa pergunta seria ele. Mas não creio nisso, pois o Felipão é um treinador experiente. Ele sabe que esse tipo de coisa pode ocorrer. Só acontece com quem está lá”, comentou.

Apesar de o jogo ter sido disputado no mês passado, o meio-campista alvinegro não escondeu a sua decepção com a falha contra os ingleses. “Eu tentei jogar a bola para o Paulinho e, infelizmente, o cara (Rooney) acabou antecipando e saiu o gol (de Lampard). Fiquei muito chateado com aquele lance. Porém, não acho que um atleta pode ser avaliado por causa disso. Foi uma fatalidade, que poderia ter ocorrido com qualquer jogador”, finalizou.

Para enfrentar italianos e russos, Luiz Felipe Scolari chamou os seguintes volantes: Luiz Gustavo, do Bayern de Munique (Alemanha), Ramires, do Chelsea (Inglaterra), Fernando, do Grêmio, Paulinho, do Corinthians, e Jean, do Fluminense.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade