Futebol/Bastidores - ( )

Grupo do Oriente Médio deseja comprar o Arsenal, diz jornal inglês

Londres (Inglaterra)

Uma notícia que pode agitar os bastidores do futebol inglês foi revelada neste domingo. Segundo o jornal britânico Daily Mail, um grupo de investidores do Oriente Médio vai oferecer uma proposta de cerca de 1,5 bilhão de libras (4,47 bilhões de reais) para assumir o controle do Arsenal.

Porém, há uma condição para que o dinheiro seja aplicado: os investidores do Catar e dos Emirados Árabes Unidos exigem que os Gunners fiquem entre os quatro primeiros do Campeonato Inglês, zona de classificação para a Liga dos Campeões. Atualmente, o Arsenal ocupa a quinta colocação do torneio nacional, atrás do arquirrival Tottenham. O time vermelho não ganha um título desde 2005.

O norte-americano Stan Kroenke é o acionista majoritário do Arsenal, mas o uzbeque Alisher Usmanov também detém uma parcela significativa do clube londrino. Em caso de a negociação com o grupo do Oriente Médio ser bem sucedida, o Arsenal se tornaria o time adquirido pelo maior valor. Atualmente, o posto pertence ao Manchester United, comprado pela família Glazer, dos Estados Unidos, pelo valor de 2,4 bilhões de reais.

A seriedade da proposta é reforçada pelos recentes sucessos do Manchester City e do Paris Saint-Germain, que foram recentemente adquiridos por grupos de empresários do Oriente Médio.

Uma fonte ligada aos investidores disse que “o Arsenal está em uma posição central neste momento. O medo é que o clube esteja passando por um ciclo de declínio como o Liverpool. Do nosso ponto de vista, é o momento perfeito para fazer essa proposta, pois ainda você pode justificar uma valorização do clube. Nós não vamos oferecer uma proposta se ele entrar em declínio”.

Já o Arsenal ressaltou que ainda não tomou conhecimento da proposta. “Stan Kroenke está comprometido com o Arsenal em longo prazo e não tem a intenção de vender a sua parte. Não houve contato de nenhum investidor potencial”. disse Mark Gonnella, director de comunicações do clube da capital inglesa.

AFP
Vivendo fase marcada por fracassos, o Arsenal pode ser adquirido por grupo do Oriente Médio

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade