Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Independentemente da atuação, Kleina comemora vitória pela reação

William Correia São Paulo (SP)

O Palmeiras não jogou bem e era vaiado quando fez o gol da vitória por 2 a 1 sobre o Linense, neste sábado, no Pacaembu. Mas o que Gilson Kleina enaltece é a atitude de uma equipe cheia de reservas que entrou em campo três dias depois de o clube ser humilhado em Mirassol com uma derrota por 6 a 2.

“Uma coisa que pedimos é que precisávamos reagir. A nossa atitude tinha que mostrar o que queríamos no campeonato. Ficamos felizes, porque o grupo está assimilando bem o que é o Palmeiras. Não estamos contentes pelo trabalho ainda, porque precisamos desenvolver, mas vitória nos dá muita moral”, comemorou o treinador.

O técnico poupou seus principais jogadores visando a partida de terça-feira, contra o Tigre, pela Libertadores, e escalou um time que, como os titulares, não mostrou muita organização tática. Tanto que os dois gols deste fim de semana saíram em um contra-ataque e em jogada de bola parada.

O chefe, porém, insistiu em sua entrevista coletiva que não faltou esforço. “Nossa equipe acreditou até o final, temos que enaltecer a atitude deles. Nossa parte é correr dentro de campo, fazer com que a nossa equipe com intensidade, seja contundente, objetiva. Tem que ser organizado, não adianta bater o desespero”, disse, como uma indicação de calma a seus atletas.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Kleina escalou Ayrton como meia após ver que Linense apostaria na mesma formação tática do Mirassol na quarta
Na sua parte, Kleina surpreendeu ao adiantar Ayrton para o meio-campo e deixar o volante Wendel na lateral, mas depois sacou Ayrton, apesar de sua boa atuação, para apostar em Patrick Vieira, fundamental no primeiro gol. “Quando saiu a escalação do Linense, com a mesma tática do Mirassol, coloquei o Ayrton de ala, muito qualificado nessa situação. A troca foi para colocar um jogador mais agudo e segurar o Wendel, que é melhor na marcação”, explicou.

E o time, apesar da desorganização tática, foi bem. “Quando começamos o jogo, tivemos três, quatro chances, a bola que deu na trave e as bolas paradas com o Ayrton que são muito boas. Começamos bem a partida”, lembrou, sem esconder a alegria pela vitória no dia do seu aniversário.

“O ambiente no Palmeiras é muito bom. Quando acontece um acidente como o de quarta, todos ficam sentidos, mas estamos muito focados no trabalho. Para se atingir o que quer, tem que se superar. E fomos premiados com o gol no final. Os três pontos foram importantíssimos, fundamentais. Agora estamos mais próximos do G-4”, celebrou o técnico, que termina o sábado com o time em quinto lugar, com 28 pontos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade