Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Ney Franco aprova e dá sequência ao laboratório tricolor no Paulista

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Titular do São Paulo na vitória sobre o Linense, pela última rodada do Campeonato Paulista, o meia Paulo Henrique Ganso foi para a reserva nesta quinta-feira, quando a equipe recebeu e venceu o Strongest pela Libertadores. Logo após a partida, o técnico Ney Franco fez questão de elogiar o laboratório que tem realizado no torneio estadual, já que o camisa 8 entrou para fazer uma função ao lado de Jadson e, neste meio tempo, o time marcou o gol da vitória por 2 a 1.

“A parte das substituições, tirando volante e botando meia, foi a partir de experiências que fizemos no Paulista e que ajudaram a gente a ganhar de 2 a 1 do The Strongest”, resumiu o comandante tricolor, relembrando a alteração que fez aos 16 minutos do segundo tempo, quando trocou Denílson por Ganso e viu o time, 18 minutos depois, marcar o segundo e decisivo gol com uma assistência do ex-santista.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ney Franco seguirá fazendo experiências no Paulistão para usar na Libertadores
Com Ganso de titular, o Tricolor volta a campo no próximo domingo, diante do Penapolense, pelo Paulistão. Como Aloísio teve boa atuação no ataque diante dos bolivianos, é possível que Ney Franco faça mais um teste no interior paulista: Ganso na vaga de Denílson, conforme testado nesta quinta-feira. Com Fabrício correndo por fora em busca de uma chance entre os titulares, o treinador detectou erros no Morumbi e já quer começar a corrigi-los no Tenente Carriço.

“Tínhamos tomado gols do São Caetano em contra-ataques, então é uma questão que preocupa. Embora não tenha sido assim contra o The Strongest, cometemos erros em um escanteio que foi mal batido, mas que a bola passou na frente da zaga. A gente tem que fazer esses ajustes para não corrermos risco de contra-ataques. No final, valeu o risco que a gente correu, e estamos com três pontos. Mas temos que estudar o jogo e ajustar a equipe. Temos potencial. Estamos em um nível e podemos aumentar”, admite Ney Franco, sincero quanto às suas expectativas.

O comandante tricolor ainda fez questão de relembrar outro duelo da equipe pelo Paulistão, no empate por 0 a 0 contra a Ponte Preta, partida que também trouxe de experiência para a Libertadores: “Tivemos contra o The Strongest um semelhante daquele que foi contra a Ponte, onde não conseguimos fazer gol. São jogos difíceis, típicos de Copa Libertadores”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade