Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Neymar incorpora Romário e diz que críticos “estão falando besteira”

Santos (SP)

O atacante Neymar se rebelou contra os críticos de seu futebol e incorporou um de seus maiores ídolos no futebol brasileiro para se defender do rótulo de ‘cai-cai’. O atleta do Santos se apoiou nos ensinamentos passados pelo ex-jogador Romário e questionou a forma como os árbitros enxergam o esporte atualmente. Para ele, a sua proteção diante dos zagueiros rivais precisa ser priorizada durante uma partida do Peixe ou da Seleção Brasileira.

“Já vi o Romário falando que existem duas leis no futebol: nunca divida com o goleiro e nunca perca um gol fácil. Mas por que não podemos dividir com o goleiro? Porque ele sempre vem forte para tirar a bola da área. Os zagueiros também entram forte. A partir do momento que percebo que vem um pouco mais de força eu prefiro me defender”, explicou Neymar, em entrevista ao programa Esporte Espetacular, da TV Globo, deste domingo.

“Eu posso perder uma jogada, mas, depois de 15 minutos, vou ter outra chance. Cada vez mais o futebol está com contato, o que não concordo. Contato é no rúgbi e no futebol americano. Futebol é para ser jogado. Nós temos contato, mas não é toda hora”, emendou o jogador, que, após cumprir suspensão contra o Atlético de Sorocaba, retornou ao Peixe na vitória por 2 a 1 sobre o Guarani, na Vila Belmiro.

Ricardo Saibun/Santos FC
Neymar reclamou das críticas feitas ao seu futebol e assegurou que não perdeu o foco em sua carreira
Neymar também não deixou passar batido as recentes críticas feitas ao seu comportamento fora dos gramados. Após Pelé reprovar a sua “vaidade” longe das quatro linhas, o atleta enfrentou uma enxurrada de reclamações vindas de torcedores descontentes com as suas últimas atuações pelo Santos e até pela Seleção Brasileira. No entanto, o jogador garante que jamais perdeu o foco nos objetivos traçados para sua carreira.

“Estão falando besteira. Estão pensando completamente errado, porque sempre jogo com a cabeça no meu trabalho, focado. Tem dia que dá certo e tem dia que não dá. Tem dia que o jogo encaixa e tem dia que não. É normal do futebol. É como na escola: é difícil sempre tirar nota dez. Se não joguei bem, não vou ficar usando muleta e falar”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade