Futebol/Copa Libertadores - ( )

Para livrar Luis Fabiano, clube tenta transformar ofensa em protesto

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Ainda que a diretoria de futebol do São Paulo considere exagerada, a punição de quatro jogos aplicada pela Conmebol a Luis Fabiano é a mínima a quem tiver "conduta antidesportiva contra um oficial de jogo (insultar ou fazer gestos ofensivos graves)", conforme o código disciplinar recém-criado pela entidade.

A estratégia dos advogados Carlos Ambiel e Roberto Armelim é desqualificar a acusação de que o atacante tenha proferido "graves insultos" a Wilmar Roldán, árbitro da partida contra o Arsenal. No recurso enviado à Câmara de Apelações, eles baseiam o episódio em outro parágrafo do artigo 10, no qual, por "protestar reiteradamente ou descumprir ordens do árbitro", a pena parte de um jogo de gancho.

Marcelo Ferrelli/Gazeta Press
Embora o atacante tricolor a negue, ofensa ao árbitro Wilmar Roldán foi registrada pela televisão
Restando duas rodadas na fase de grupos da Libertadores, o ideal seria convencer o tribunal a relaxar a punição justamente para um só jogo, uma vez que o atacante já cumpriu suspensão automática. Dessa forma, ele ficaria livre para enfrentar The Strongest (em La Paz, em 4 de abril) e Atlético-MG (no Morumbi, no dia 17) e tentar ajudar a equipe a se classificar para as oitavas de final.

O problema é que ao menos um insulto de Luis Fabiano a Roldán, embora ele o negue, foi filmado pela televisão. No sábado, antes do duelo com o Bragantino, pelo Campeonato Paulista, pessoas do próprio clube admitiam o fato no Morumbi, usando como defesa a alegação de ter ocorrido somente depois de recebido o cartão vermelho, o que, na verdade, é indiferente.

Vice-presidente de futebol, João Paulo de Jesus Lopes foi o único a reconhecer em público o desvio de conduta do jogador, com quem diz ter conversado em particular. "É óbvio que, depois da expulsão, o Luis deve ter feito alguma traquinagem, mas nada que, na minha visão, justifique uma pena tão rigorosa", comentou o dirigente, reforçando mais tarde: "Ele deve ter falado alguma abobrinha".

A Luis Fabiano, cabe apenas aguardar. "Agora não adianta falar. Já está aí a punição. É torcer para que a defesa consiga reverter tudo isso", desabafou o camisa 9, que vive boa fase em campo, tendo feito gol nos últimos três jogos, porém se mostra incomodado com algo que ninguém no clube sabe dizer o que é.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade