Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

"Parece o Barcelona": novo São Paulo rende brincadeira no vestiário

Tossiro Neto São Bernardo do Campo (SP)

Um só volante de origem, três meias técnicos mais dois atacantes. Depois de outra vitória no não muito exigente Campeonato Paulista, desta vez sobre o São Bernardo, a nova formação são-paulina, com o diferencial da dupla formada por Paulo Henrique e Jadson, rendeu comparações - no próprio vestiário tricolor - com a equipe mais elogiada do mundo nos últimos tempos.

"Nosso time foi bem demais, com posse de bola. Até brincamos no vestiário, ficamos 'meio assim'... Parecia o Barcelona", disse o zagueiro Edson Silva, rindo e tratando em seguida de não polemizar. "É comparar demais, foi brincadeira nossa. Mas quem sabe a gente não chega no nível do Barcelona para conseguir os resultados?".

Por mais que seja descabida, a comparação com o Barcelona de Messi e companhia revela uma melhora no clima do São Paulo, que, apesar da liderança na competição estadual, segue pressionado pela má campanha na Libertadores - o risco de não se classificar para as oitavas de final do torneio sul-americano não é pequeno.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Consciente de que não vinha bem, o São Paulo se uniu e conseguiu vencer o São Bernardo nesta quarta-feira
O som ambiente do vestiário visitante no Estádio 1º de Maio, que ficava bem ao lado da sala onde Ney Franco elogiou a postura "convincente" da equipe, era de descontração na noite desta quarta-feira. Os jogadores riam alto e, ao deixarem o local rumo ao ônibus da delegação, tinham semblante muito mais relaxado do que após as duas partidas passadas.

"A gente estava ciente de que não vinha fazendo boas partidas. Antes do jogo, o professor pediu para jogar o que a gente sabe. No ano passado, tivemos esse mesmo tipo de turbulência e tiramos o time daquela situação. Não vai ser diferente neste ano. Daqui para frente, vamos fazer boas partidas. Hoje foi uma prova, nosso meio-campo dominou a partida", opinou Edson Silva.

Se conseguir mesmo emplacar boa sequência na temporada, o São Paulo pode - por que não? - ter o Barcelona pela frente em dezembro, no Mundial de Clubes. Para isso, os dois clubes precisam vencer seus respectivos campeonatos continentais, como em 1992. Naquele ano, em outro formato de disputa, deu o time brasileiro, sem brincadeira.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade