Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Por imposição, Philippi assume Conselho Deliberativo do Figueirense

Florianópolis (SP)

Após Júlio César Gonçalves solicitar, na última segunda-feira, afastamento em definitivo do cargo de presidente do conselho deliberativo, o clube catarinense tem novo mandatário para o departamento. Por imposição estatutária, o vice-presidente, Luiz Fernando Philippi, exercerá a função deixada por Gonçalves até dezembro de 2020.

Aos 24 anos, Philippi é formado em engenharia civil pela Universidade Federal de Santa Catarina e tem participação efetiva no Figueirense desde 1985, quando assumiu cargo de conselheiro, indicado por Walter Borges e Walmor Schmidt. Além disso, já exerceu outras funções na agremiação alvinegra, como a vice-presidência de finanças na gestão de Norton Boppré, em 2007.

“O Conselho Deliberativo estabelece a política e as diretrizes a serem tomadas pelo Conselho Administrativo e Fiscal. O que o Figueirense mais precisa, neste momento, é que haja uma união de todos os poderes para poder encarar a situação administrativa e financeira, que são complicadas. A parte financeira realmente é o nosso grande problema, mas o presidente do clube, Wilfredo Brillinger, está tomando algumas ações que eu acredito que, em um ou dois anos, as nossas contas estarão equilibradas”, explicou Philipi em entrevista ao Diário Catarinense.

Sob a presidência de Brillinger, o Figueirense vive momento de pouca oposição política. Entre os principais projetos de Luz Fernando Philippi está a mudança do estatuto do clube, possibilitando que torcedores da equipe catarinense participem ativamente dos bastidores e eleições da agremiação.

“Para o clube é muito bom que existam outros conselheiros para contestar os procedimentos e medidas tomados pela diretoria. Isso é salutar, claro, tudo dentro de um padrão aceitável, mas ajuda o clube a evoluir”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade