Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Por meta de jogar no exterior, titularidade no Vasco seduz Juninho

William Correia São Paulo (SP)

Após ter sido titular no 0 a 0 com o São Paulo no domingo, Juninho entrou no intervalo da vitória por 2 a 1 sobre o Paulista nesta quinta-feira. Uma irregularidade que pode fazê-lo sair do Palmeiras. De titular incontestável a reserva de Marcelo Oliveira, volante de origem, o lateral esquerdo parece propenso a aceitar jogar no Vasco para aparecer mais e atuar no exterior.

“Quero estar sempre jogando. Pensei ‘pô, vou para o Vasco e jogar’. Isso é importante para mim, sou jovem, tenho objetivo de jogar fora do País. Iria me ajudar”, admitiu Juninho em uma entrevista cheia de contradições, mas na qual desmentiu René Simões – o dirigente do Vasco disse ter ouvido de Brunoro que o jogador pediu para atuar no Rio de Janeiro.

A diretoria do Verdão alega que, até agora, o Vasco só manifestou interesse no lateral, ainda sem formalizar uma proposta. Mas a negociação foi aberta e o camisa 6 pode sair como parte do acordo feito para Fernando Prass jogar no Palmeiras. “Isso é questão de sentar, conversar, ver o que o Vasco quer e o que é interessante para mim. A princípio, estou focado e trabalhando aqui. Por enquanto, é isso”, disse Juninho.

Gilson Kleina ainda conta com ele. “Isso me pegou de surpresa. Conversei com o atleta e hoje (quinta-feira) o utilizamos, olha que coincidência. E ele já teve uma boa atuação contra o São Paulo. O que a diretoria me passou é que não chegou nada para o Palmeiras, e ele tem contrato até o final de 2014”, ressaltou o técnico.

Enquanto não sai, Juninho promete trabalhar sem se incomodar com a reserva. “O Palmeiras também é um excelente clube, gosto daqui. Tenho mais dois anos de contrato e estou tranquilo, minha cabeça está tranquila em relação a isso. Estou trabalhando”, disse o lateral, que nega ter sentido o peso da camisa do clube em 2012, seu primeiro ano no time – essa é a avaliação dos dirigentes.

“Se eu fosse sentir pressão, seria quando cheguei: vim de um clube inferior ao Palmeiras e a lateral esquerda era muito contestada aqui. Mas joguei e fui titular praticamente o ano inteiro. Não só eu, mas a equipe toda teve um desgaste, caiu nosso rendimento no meio do ano. Infelizmente, jogador passa por isso, é fase”, minimizou o lateral.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade