Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Prass se recusa a dar desculpas e define goleada como inacreditável

Mirassol (SP)

O capitão do Palmeiras nem tentou ‘enrolar’ a torcida. Fernando Pras ficou durante todo o jogo em Mirassol com olhos arregalados para os colegas, como se procurasse alguma explicação. Não encontrou e deixou o campo após a derrota por 6 a 2 dando entrevista com sinceridade: é impossível entender o que ocorreu na noite desta quarta-feira.

“O que aconteceu hoje aqui foi inacreditável. Nunca tinha presenciado nem visto uma situação dessas”, afirmou o goleiro, sem nem tentar dar algum argumento. “Sinceramente, não tem explicação. Tudo que falarmos aqui vai ser para dar desculpa, para encher linguiça.”

Incredulidade de Prass já era mostrada no intervalo, quando a equipe já perdia por 6 a 2 e o goleiro tinha feito duas grandes defesas para evitar uma goleada ainda maior na etapa inicial. “Não dá para explicar. Tem que ser reversível”, dizia, ainda com esperança.

Após o apito final, o jogador mais velho do elenco ficou completamente cabisbaixo. “Conseguimos o mais difícil, que é chegar perto no 3 a 2, mas o time do Mirassol estava em uma noite impressionante e nós, muito abaixo. Praticamente todas a bolas que o Mirassol tinha eles conseguiram concluir”, lamentou.

Fernando Prass se esquivou sobre a situação de Gilson Kleina ao responder “isso não é comigo”. Foi a única afirmação em que não se alongou. O capitão do Palmeiras foi o último a entrar nos vestiários. Sem esconder sua tristeza.

Gazeta Press
Sem reação, Fernando Prass presenciou uma humilhação do Palmeiras. (Crédito: Celio Messias/Gazeta Press)

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade