Futebol/Campeonato Carioca - ( - Atualizado )

Segundo tropeço coloca Dorival Júnior em perigo no Flamengo

Rio de Janeiro (RJ)

Contratado pela gestão de Patrícia Amorim, que antecedeu Eduardo Bandeira de Mello na presidência do Flamengo, Dorival Júnior nunca esteve tão perto de deixar o comando da equipe da Gávea. Duas derrotas consecutivas no Campeonato Carioca colocam o trabalho do treinador em cheque. Mano Menezes, que está desempregado desde que caiu da Seleção Brasileira, pinta como virtual sucessor no banco rubro-negro, por conta da boa relação que tem com o diretor executivo Paulo Pelaipe, com quem trabalhou no Grêmio.

A ótima campanha na fase de grupos do primeiro turno do estadual, porém, mantiveram Dorival como treinador do clube, mas os tropeços diante do Botafogo, na semifinal da Taça Guanabara, e a virada sofrida na estreia da Taça Rio, contra o Resende, o fazem balançar no cargo. Apesar do momento conturbado, Dorival vê a situação com serenidade.

“Quem trabalha em grandes clubes do futebol brasileiro, como é o Flamengo, tem que estar preparado para lidar com pressão. Se não souber lidar com pressão não vai dar certo. Há dez dias o Flamengo era a sensação do campeonato. Hoje estamos pressionados. Isso faz parte do futebol. Nós profissionais sabemos lidar com isso, porém somos mais equilibrados no raciocínio e sabemos que nem tudo está certo quando se ganha e nem tudo é um caos quando se deixa o gramado derrotado”, comentou.

O treinador terá cerca de dez dias para trabalhar a equipe para a segunda rodada da Taça Rio, diante do Boavista, no Engenhão, no dia 23 de janeiro. Nova derrota pode significar o fim da linha para Dorival no Flamengo.

Alexandre Vidal/Fla Imagem
Menos de um ano depois de chegar ao Flamengo, Dorival Júnior corre risco de perder o emprego se for derrotado novamente

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade