Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Sem Barcos nem artilheiros secundários, média de gols diminui 52%

William Correia São Paulo (SP)

Passados o empate com o Corinthians e três jogos de invencibilidade após a contestada negociação de Barcos com o Grêmio, o diretor executivo José Carlos Brunoro usou os resultados como resposta aos críticos. Quase um mês depois, porém, os gols rarearam, até porque a improvável fase goleadora de defensores como Henrique e Márcio Araújo passou. E o time tem sofrido.

Nas seis primeiras partidas no ano, todas com o centroavante argentino em campo, o Palmeiras marcou 13 gols, em média de 2,17 por partida. Desde a saída do artilheiro da equipe na última temporada, o Verdão atuou sete vezes, balançando as redes somente em sete oportunidades – média de 1 gol por compromisso.

A queda no aproveitamento do clube também é assustadora. Nos seis jogos com Barcos em 2013, foram conquistados 11 dos 18 pontos disputados, que representam 61,1%. Com o argentino em Porto Alegre, Gilson Kleina conseguiu somar nove dos 21 pontos possíveis, ou seja, 42,8%.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Atual dono da posição, atacante Kleber ainda não balançou a rede com a camisa 9 palmeirense
Autor de 28 gols em 2012, Barcos fez três nas seis partidas pelo Palmeiras neste ano. Ainda com ele como companheiro, Henrique marcou três vezes e Márcio Araújo, duas. Após a negociação do centroavante, o zagueiro e o volante só balançaram as redes mais uma vez cada. E a ‘compensação’ pela saída do atacante acabou desde então.

Além dos gols de Henrique e Márcio Araújo, também marcaram no período pós-Barcos Souza, Patrick Vieira, Vilson, Vinicius e Leandro. Todos somente uma vez. A equipe tem sido prejudicada por isso.

O time de Gilson Kleina já não faz gol há três partidas, perdendo para Libertad e Tigre, pela Libertadores, e empatando com o São Paulo mesmo ficando com um jogador a mais durante quase todo o segundo tempo. Neste período, Kleber, substituto de Barcos, estreou e foi titular, mas sem agradar, até desperdiçando por displicência uma chance clara de dar a vitória na Argentina na quarta-feira.

Com esse cenário, Márcio Araújo, autor de três gols no ano e em ‘seca’ que já dura seis jogos, é cobrado. “Bom seria fazer gol em todos os jogos, né?”, falou, achando graça da inusitada situação. “Estou chegando na frente, o time está criando bastante. Só precisamos caprichar mais, melhorar a nossa finalização”, projetou o volante, atrás só de Henrique, que tem três gols, na artilharia palmeirense em 2013.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade