Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Sem todos na Libertadores, Palmeiras admite convencer só na Série B

William Correia São Paulo (SP)

Gilson Kleina tentou diversas formas de escalar o time só com jogadores que podem atuar tanto na Libertadores quanto no Paulista, mas acabou se satisfazendo mesmo quando usou Léo Gago e Leandro, ambos impedidos de jogar pelo torneio continental. Por problemas como esse, já se admite que o Palmeiras vai convencer apenas na disputa da Série B do Campeonato Brasileiro.

A equipe terá todo o elenco à disposição em qualquer partida somente quando começar a jogar a Copa do Brasil, o que ocorrerá ao final de sua campanha na Libertadores. Nessa altura, a segunda divisão nacional, grande foco da diretoria para a temporada, já estará em curso, e o técnico não terá dificuldades pela inscrição de atletas, apenas por lesões e suspensões.

O próprio elenco avisa: a alegria do torcedor pode ser, por enquanto, uma sensação temporária. “Podemos na quarta-feira, contra o Mirassol, fazer uma partida excepcional, um jogo perfeito. Mas, para termos uma consistência de atuação e em alto nível, ainda vão levar um pouquinho de tempo”, disse Fernando Prass, ciente de que, da escalação que empatou com o Santos, André Luiz também está impedido de jogar na Libertadores.

“Estamos em uma boa sequência no Paulista, com boas atuações, e perdemos três jogadores para a Libertadores. Isso dificulta, atrapalha. Falta sequência. Agora estamos conseguindo manter um sistema em jogos seguidos, mas só vamos adquirir isso com todos à disposição em todas as competições”, reiterou o goleiro.

A situação é citada com tristeza por Kleina. “Não falo que tínhamos que trabalhar no planejamento só para ser repetitivo. Quando entregamos a relação dos inscritos, sabíamos das dificuldades. Estamos convivendo com isso, com as lesões, com um jogo na sequência do outro, mas não adianta ficar reclamando. Tenho de pensar no futuro, olhar o que pode melhorar e, acima de tudo, ser transparente”, falou o técnico.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Time com Leandro e Léo Gago satisfez Kleina, mas ambos não podem jogar na Libertadores
A maior parte do problema surgiu com a negociação de Barcos. Dos quatro cedidos pelo Grêmio em troca, só Vilson pode jogar na fase de grupos da Libertadores, enquanto Rondinelly será inscrito apenas se a equipe obtiver a classificação. Leandro e Léo Gago, nem isso, por terem atuado em etapa preliminar do torneio pelos gaúchos.

Mas Prass lembra que a situação é conhecida há quase dois meses. “Sabíamos desde quando começou o ano, não temos muito que lamentar. É encarar de frente essa situação. Termos esse problema não significa que não estejamos em um nível bom e aceitável para o momento.”

Em tom de defesa, o goleiro avisa que mesmo times sem a dificuldade do Verdão também estão longe de encantar. “Tudo que queremos quando entramos em campo é fazer um jogo perfeito. Ainda não fizemos, como poucas equipes. É difícil alcançar um jogo perfeito, ainda mais nesse nosso momento de reconstrução”, discursou Prass, sem deixar de ressaltar o obstáculo maior de sua equipe.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade