Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Substituído, Lúcio não vê derrota e deixa vestiário antes de todos

Sarandí (Argentina)

Quatro dias depois de Paulo Henrique Ganso ficar insatisfeito por ter sido substituído, nesta quinta-feira foi a vez de Lúcio. Sacado pelo técnico Ney Franco no início do segundo tempo, ele já não estava mais no banco de reservas quando o Arsenal fez o primeiro gol da vitória por 2 a 1, em Sarandí.

Em clara demonstração de descontentamento pela alteração – incomum até aqui em sua passagem de menos de três meses pelo clube –, o camisa 3 seguiu direto para o vestiário, de onde saiu pouco depois do apito final. Enquanto os companheiros se banhavam, ele já estava no interior do ônibus que levaria a delegação de volta ao hotel.

A exemplo do tom que adotou no domingo para comentar o comportamento de Ganso no clássico contra o Palmeiras, Ney Franco evitou opinar a respeito do que fez Lúcio.

"Essa informação está sendo me passada aqui, agora. Todo o mundo está chateado pelo resultado. O Lúcio, o Rogério, eu, a comissão técnica, a diretoria. Cada um tem sua forma de manifestar isso. Alguns vão para seu canto", disse o treinador.

Desde que foi contratado, em julho do ano passado, Ney Franco sempre encarou polêmicas com naturalidade, tratando de resolvê-las inclusive em público. Atualmente, porém, ele tem se silenciado, talvez como forma de evitar mais problemas em meio a um momento turbulento, em que o time corre risco na Libertadores.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade