Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Toluca não passa pelo Barcelona-EQU e deixa a liderança com Nacional

Guaiaquil (Equador)

O complemento da quarta rodada do Grupo 1 da Copa Libertadores não poderia ter sido melhor para o Nacional. Após a vitória por 1 a 0 sobre o Boca Juniors, em plena La Bombonera, os uruguaios acompanharam de camarote ao jogo entre Barcelona de Guaiaquil e Toluca, nesta quarta-feira. E o resultado foi extremamente proveitoso para o time de Loco Abreu e Recoba, uma vez que o empate por 0 a 0 deixou a equipe soberana e inalcançável na liderança do torneio.

O confronto entre equatorianos e mexicanos não empolgou os torcedores que compareceram ao estádio Municipal de Barcelona, em Guaiaquil. As equipes já haviam empatado por 1 a 1 na última rodada da Copa Libertadores e repetiram o festival de chances perdidas no ataque. Os setores ofensivos de ambos os clubes não tiveram uma atuação de destaque e facilitaram o trabalho dos goleiros no confronto.

AFP
Barcelona de Guaiaquil e Toluca perderam inúmeras chances no empate sem gols desta quarta-feira, no Equador
Com a igualdade estabelecida no placar, o Toluca segue na frente do Boca Juniors e alcança os cinco pontos no torneio continental. O Nacional permanece em primeiro lugar, com sete pontos, e já tem boa vantagem para os demais concorrentes a uma vaga nas oitavas de final. Já o Barcelona-EQU iguala a pontuação dos xeneizes, mas fica com a lanterna graças aos critérios de desempate.

Olimpia massacra o Deportivo Lara e toma a liderança - Os paraguaios do Olimpia tiveram uma atuação impecável nesta quarta-feira e assumiram a liderança do Grupo 6 da Libertadores. A equipe goleou o Deportivo Lara por 5 a 1, fora de casa, e chegou aos sete pontos, ultrapassando Newell’s Old Boys e Universidad de Chile, segundo e terceiro colocados, respectivamente.

A goleada foi toda construída no primeiro tempo e só alguns lances de destaque marcaram a etapa complementar. Nos 45 minutos iniciais, o Olimpia estufou as redes com Bareiro, Miranda e Pitoni, duas vezes. Após o intervalo, Mosquera descontou para os mandantes, mas Aranda freou qualquer reação e fechou a conta para os paraguaios.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade