Futebol/Copa Libertadores - ( )

Valdivia assume erro por cartão, mas cita prejuízo dos brasileiros

William Correia São Paulo (SP)

Valdivia recebeu seu primeiro cartão amarelo em uma Libertadores antes mesmo de estrear no torneio, já que estava no banco de reservas quando foi advertido na derrota para o Libertad. O chileno admite que errou, mas ressalta que clubes brasileiros são prejudicados por serem os únicos no torneio a não falar espanhol, como os árbitros.

“Fui reclamar porque o jogador do Libertad estava no chão e o time deles deu contra-ataque. Aí quando foi contra-ataque para nós, ele cortou a jogada. Fiquei nervoso como todos, mas, como falo espanhol e só deu para me escutar, tomei cartão”, lembrou o meia, prometendo se conter na quarta-feira, contra o Tigre, na Argentina.

“Entrei pendurado e isso complica. Foi um erro meu. No próximo jogo, vou tentar ficar mais calmo, tranquilo, pensando só em jogar. Vou esquecer o juiz”, assegurou o camisa 10, que pode até ser titular no confronto decisivo para o Palmeiras não se complicar na busca por vaga nas oitavas de final.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Meia promete reclamar menos na quarta, contra o Tigre, mas ressalta que falar português é prejudicial na Libertadores
Mas assegurar nova postura não ameniza a constatação de prejuízo a brasileiros do jogador. Embora esteja disputando a primeira Libertadores de sua carreira, o chileno afirma que “árbitros caseiros” fazem parte da competição. Inclusive favorecendo quem fala espanhol - o problema já foi citado também pelo goleiro Fernando Prass.

“Na Libertadores é comum, até porque os times brasileiros estão um pouco em desvantagem na questão do idioma. Todos viram que tinha lance que era para ser falta para nós e não era, mas para eles era”, lembrou o meia, que levou entradas duras ignoradas pelo venezuelano Juan Soto no jogo dessa quinta-feira.

Para quarta-feira, diante do Tigre, que não costuma economizar nas jogadas violentas, a recomendação por olho na bola em vez de quem está com o apito. “Temos que esquecer o juiz, entrar focados no jogo, que vai ser decisivo, e deixar o juiz apitar tranquilo, com acertos e erros. Esperamos nos sobrepor a tudo isso”, falou Valdivia.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade