Futebol/Campeonato Paranaense - ( )

Alex compreende irritação do torcedor do Coxa e pede personalidade

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

O Coritiba voltou a irritar o torcedor com um futebol irregular, mas pelo menos saiu de campo na partida contra o Arapongas com vitória no Couto Pereira, somando pontos importantes no Campeonato Paranaense 2013. O meia Alex, que marcou o gol salvador nos acréscimos, saiu de campo defendendo o trabalho do técnico Marquinhos Santos das vais e, depois, com cabeça fria, aproveitou para mostrar compreensão com as reclamações.

“Essa consciência temos que ter que o torcedor está certo, que não estamos jogando bem. Sabemos que podemos render bem mais do que a gente vem rendendo, mas o torcedor também precisa saber que precisamos muito do apoio dele”, ponderou o meia, que filosofou. “Quando a gente ganha a gente valoriza muito e acha que é muito mais do que aquilo que está sendo, assim como quando a gente perde valoriza muito essas derrotas e parece que é pior do que é”, emendou.

Alex também lembrou seus tempos de torcedor, quando também cobrava os jogadores, e lembrou que os mais jovens teriam que passar por essa provação algum dia. “Não me surpreende porque os mesmos que vaiaram na arquibancada são meus companheiros de arquibancada, eu cresci ali. Eu já vi jogo atrás do gol onde estava a Império, vi jogo na reta da Mauá, vi jogo nas sociais. Se treinadores como o Tim, Enio Andrade, o Krüger, passaram por isso, porque um menino que está começando não pode passar?”, avaliou.

O meia, aliás, também passou por maus bocados quando se tornou profissional em uma fase terrível do Alviverde e citou como exemplo, além de sua superação e personalidade, Zé Rafael, o destaque do jogo com três assistências. “Passei por essa mesma situação quando subi no Coritiba. Tinha apelidos pejorativos, sofri muitas vaias e depois de 18 anos voltei como um grande jogador. Cada um responde de uma forma. Se analisarmos hoje o Zé Rafael não sentiu nada. Isso é individual e temos que detectar isso para poder formar um grupo homogêneo”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade