Futebol/Campeonato Italiano - ( - Atualizado )

Apesar de insultos racistas, Boateng descarta deixar Milan

Milão (Itália)

Alvo de insultos racistas ao longo desta temporada, o meio-campista Kevin-Prince Boateng descartou deixar o Milan por causa das ofensas dos torcedores adversários. Em entrevista divulgada pelo jornal La Gazzetta dello Sport nesta sexta-feira, o atleta ganês lamentou viver este tipo de situação, mas negou que tenha interesse em deixar o clube rubro-negro por esses atos.

“Estou me sentindo bem em Milão. Esta é minha casa e quero ficar aqui durante muitos anos”, destacou o jogador.

Em janeiro deste ano, os jogadores da equipe comandada por Massimiliano Allegri disputaram amistoso com o Pro Patria e deixaram o campo de jogo aos 25 minutos do primeiro tempo, quando Boateng dominou bola pelo lado esquerdo e ouviu insultos vindos das arquibancadas. No último domingo, foi a vez de os torcedores da Juventus cometerem atos racistas contra o meio-campista. Como punição, o clube de Turim foi multado em 30 mil euros (cerca de R$ 78,3 mil).

“Não vou dizer como deve ser punido, quanto deve pagar. O importante é entender que esta questão é séria, que esses idiotas devem ser parados”, disse. “Tive momentos em que pensei que não aguentaria mais esta situação e considerei deixar este time. No entanto, não posso fazer isso só por causa de quatro ou cinco idiotas”, completou.

Nascido em Berlim, na Alemanha, Boateng optou por defender a seleção ganesa. O meio-campista chegou ao Milan em junho de 2010, por empréstimo junto ao Portsmouth, e foi contratado em definitivo um ano depois, por 7,5 milhões de euros (cerca de R$ 19,5 milhões). Nesta temporada, disputou 34 partidas, sendo 29 como titular, e marcou três gols.

AFP
Incomodado com insultos racistas, Boateng quer medidas contra "idiotas" no futebol italiano

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade