Futebol/Bastidores - ( )

Após livro, Casagrande escolhe roqueiros para produzirem seu filme

Gabriel Carneiro, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Dois amigos pessoais do ex-jogador Casagrande marcaram presença no lançamento de seu livro de memórias, nesta terça-feira, e aproveitaram a chance para adiantar uma grande novidade que deve ser produzida nos próximos anos: o filme da vida do ídolo corintiano, que resolveu contar ao jornalista Gilvan Ribeiro histórias curiosas de sua carreira como atleta e comentarista e também os dramas que viveu com a dependência química.

De acordo com o projeto do músico Kiko Zambianchi, com apoio do escritor Marcelo Rubens Paiva para o roteiro, Casagrande já disponibilizou uma série de documentos e escritos para que o filme comece a sair do papel o mais rápido possível. A biografia, inclusive, estava parada desde o falecimento de Marcelo Fromer, que já escrevia os primeiros capítulos quando foi vítima de um atropelamento, em 2001. Apenas 12 anos depois da morte do Titã que o ex-corintiano resolveu publicar a obra.

“Agora estamos planejando esse filme da história dele. O Casagrande me mandou alguns escritos dele, de coisas que ele passou, umas coisas loucas. Ele era amigo do Fromer, e acabamos ficando mais amigos depois da morte dele”, disse Zambianchi, na fila de espera por um autógrafo do personagem inspirador do filme, ainda sem data para ser produzido, roteirizado ou lançado no circuito nacional. “Você conhece o Casão, né?”, perguntou, em tom de brincadeira.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Kiko Zambianchi e Marcelo Rubens Paiva, ao fundo, confirmaram a fase inicial do projeto de um filme da vida do ídolo da Fiel
Torcedor declarado do Corinthians, Marcelo Rubens Paiva escreveu o prefácio do livro de memórias assinado em conjunto por Casagrande e Gilvan Ribeiro. Segundo Kiko Zambianchi, ele também participará da produção do filme: “Eu e o Casagrande somos amigos, mas não conversamos, porque ele só quer falar de rock e eu só quero falar de futebol. Mas o Marcelo também está no projeto, e ainda estamos vendo trilha sonora com a Rita Lee, que ele gosta”.

Um filme contando sua vida não seria a primeira incursão de Casagrande no cinema. Em 1983, o então jogador do Corinthians participou, como ator, de parte das filmagens do filme Onda Nova, que contava a história de um time de futebol feminino de São Paulo. O companheiro Wladimir também fez parte do elenco, mas o camisa 9 da Democracia Corintiana brigou com a equipe de produção e abandonou o projeto antes do fim.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Na noite de segunda-feira, o ex-jogador lançou 'Casagrande e seus demônios" em uma livravia da cidade de São Paulo

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade