Futebol/Copa Libertadores - ( )

Após temer eliminação, Palmeiras se imagina líder na próxima semana

William Correia São Paulo (SP)

No discurso de jogadores e comissão técnica, o Palmeiras fez contra o Tigre o jogo de sua vida na Libertadores. Mesmo que não gerasse já a eliminação, uma derrota no Pacaembu complicaria demais a classificação e ampliaria a crise. Mas, com a vitória por 2 a 0, o objetivo passa a ser mais alto: terminar o dia 11 na liderança do grupo 2.

“Conversamos palestra sobre o que a vitória nos daria. Passaríamos à segunda colocação e faríamos um confronto direito para terminar a semana que vem em primeiro. Agora temos que manter esse foco”, comentou Gilson Kleina, que várias vezes durante sua entrevista coletiva imaginou como seria voltar ao local falando como dono da ponta de sua chave.

No dia 11, o Verdão recebe o Libertad no estádio municipal paulistano. O time brasileiro soma seis pontos, contra oito dos paraguaios. Em caso de vitória, o Palmeiras pode ir além de alcançar a primeira colocação. Caso o Tigre vença o Sporting Cristal na Argentina, os comandados de Kleina estarão garantidos nas oitavas de final.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Prass lembrou que vitória sobre o Libertad aliada a triunfo do Tigre sobre o Sporting Cristal já dá vaga ao Verdão
As contas nem foram ressaltadas pelo técnico, mas por Fernando Prass. “Estávamos com um jogo a menos. Agora estamos em segundo e temos um confronto com o líder na próxima rodada. Como nosso grupo está equilibrado, precisamos fazer o dever de casa. E esperar que o tigre vença o Sporting Cristal”, comentou o goleiro.

Ao treinador, bastou enaltecer o que viu em campo. “A atitude dos jogadores não é uma surpresa para mim. Eles estão loucos para vencer no Palmeiras. Assim como eu, lógico. E o Palmeiras vai conquistar. Vai passar por essa situação ruim, mas vai conquistar. Só pedimos para não perder mais para termos essa condição.”

O discurso de Kleina é para que se evitem resultados vexatórios como a goleada por 6 a 2 do Mirassol, na quarta-feira passada, pelo Paulista. Assim, o estádio volta a ficar cheio, como nessa terça-feira, no Pacaembu. “E faço mais uma vez um apelo ao torcedor, que faz a diferença quando joga junto”, comentou o técnico, já pensando na pressão dos palmeirenses sobre o Libertad na próxima semana.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade