Futebol/Copa Libertadores - ( )

Com rival já "dissecado", são-paulinos secam Arsenal nesta quarta

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O São Paulo termina na manhã desta quarta-feira a preparação para o duelo com o The Strongest e, em seguida, viaja à Bolívia. Na primeira parada, em Santa Cruz de la Sierra, jogadores e comissão técnica terão tempo livre para torcer pelo Atlético-MG contra o Arsenal, em jogo que será disputado em Belo Horizonte.

A previsão é de que a delegação chegue pouco depois das 16 horas a Santa Cruz, cidade em que ficará hospedada até a tarde do dia seguinte. De lá, só sairá rumo a La Paz pouco antes da partida. Assim, entre um dia e outro, o programa será secar o concorrente argentino, que tem os mesmos quatro pontos, mas leva desvantagem no saldo de gols.

"Temos possibilidade de ficar, no mínimo, um ponto à frente deles", diz o técnico Ney Franco, levando em conta uma derrota argentina e um empate de seus comandados. "Mas nosso pensamento não estará associado a esse jogo. A entrega será a mesma independentemente do resultado do Arsenal".

Já se vencer, o São Paulo elimina o lanterna The Strongest (que soma três pontos) e abre três de vantagem para o Arsenal. Por isso, a comissão técnica usou bem as três semanas entre a rodada passada e o compromisso desta quinta-feira para fazer levantar informações sobre o adversário.

"Eles jogam em casa da mesma forma que jogaram aqui contra nós. Não jogaram lá atrás, na defesa. Em alguns momentos, avançaram a linha de marcação", analisou o treinador. "Lá o jogo fica mais rápido, e eles trabalham bem com essa questão do chute à longa distância. Também batem rapidamente faltas e escanteios. São detalhes que você precisa dissecar".

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade