Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

D’Ale descarta influência do elenco sobre escolha do mando de campo

Do correspondente Vicente Fonseca Porto Alegre (RS)

O capitão do Internacional rechaçou na manhã desta terça qualquer possibilidade de insatisfação dos jogadores colorados com relação a atuar em Caxias do Sul enquanto o Beira-Rio estiver indisponível. D’Alessandro ressaltou que o grupo pode até ter uma opinião a respeito de qual seria o melhor local para a equipe mandar suas partidas em 2013, mas ressaltou que a decisão cabe somente à direção do clube.

“Não decidimos nada, nenhum jogador aqui vai definir onde vamos jogar. Criou-se essa coisa na semana passada, depois das coletivas do Forlán e do Dátolo, como se eles não quisessem atuar aqui ou ali, mas isso não existe. Nós opinamos, mas não vamos externar o que o grupo pensa. Há uma diretoria, um presidente, um treinador. Juntos, eles vão decidir”, salientou.

Com o Beira-Rio em obras até o fim do ano para reformas visando à Copa de 2014, o Inter ainda não encontrou um lugar para chamar de seu neste ano. A equipe já mandou jogos em Canoas, Novo Hamburgo, Erechim, Gravataí e Lajeado, além do Estádio Centenário, em Caxias do Sul, que é considerado o melhor do interior do estado e tem capacidade para 30 mil pessoas. As viagens de quase duas horas até a Serra, porém, incomodam os atletas.

Domingo, será em Caxias que o Inter enfrentará o Lajeadense, pelas quartas de final da Taça Farroupilha. D’Alessandro garante foco total no confronto e evita pensar em um possível Gre-Nal na decisão da Taça Farroupilha. “Não pensamos nisso, estamos focados no Lajeadense. Sabemos que vai ser difícil. Precisamos vencer domingo para obter a vaga na semifinal, sem pensar mais à frente”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade