Futebol/Copa Libertadores - ( )

Em Pacaembu lotado, Palmeiras avança ou se complica contra Libertad

William Correia São Paulo (SP)

A linha entre a paz permanente e a volta das dúvidas do Palmeiras é de três pontos. Nesta quinta-feira, às 19h15 (de Brasília), o time terá o apoio de cerca de 37 mil torcedores no Pacaembu para buscar uma vitória que será um divisor de águas: caso ganhe do Libertad, se classifica antecipadamente às oitavas de final da Libertadores, mas uma derrota garantirá uma vaga aos paraguaios e ainda ressuscitará os outros três concorrentes do grupo 2 na disputa pelo outro posto na fase seguinte.

Diante do cenário que ainda é positivo, mas que também pode significar uma pressão, o trabalho de Gilson Kleina foi conter a empolgação e a ansiedade de seus comandados após o triunfo do Tigre sobre o Sporting Cristal, que deu ao Verdão a condição de já se classificar nesta quinta-feira se somar três pontos.

“O principal resultado de todos na rodada é o nosso. Se as coisas acontecerem para o nosso lado, conseguimos antecipar a classificação. Já o empate coloca nosso adversário na segunda fase e recoloca o último colocado em condições de classificação”, lembrou o técnico, que vê seu time com seis pontos, como o Tigre, e um acima do Sporting Cristal, que recebe o Palmeiras no Peru na última rodada da chave, no dia 18.

Além do fator emocional, os desfalques continuam definindo a situação da equipe. Desta vez, além de Leandro, Léo Gago, Rondinelly e André Luiz, que não estão inscritos na Libertadores, seguem fora Vilson, suspenso, e Kleber, Valdivia, Maikon Leite, Patrick Vieira, Leandro Amaro e Edilson, todos machucados.

Entre os relacionados, ainda há dúvidas. Ronny passou a semana com febre e Caio tem edema na coxa esquerda. Se ambos não puderem atuar, Juninho será escalado no meio-campo, com Wesley no ataque ao lado de Vinicius. O resto do time está definido, com destaque para o volante Marcelo Oliveira mais uma vez improvisado na lateral esquerda, com o objetivo de bloquear o forte lado direito ofensivo do Libertad.

A mesma estratégia foi usada no Paraguai, e o Palmeiras perdeu por 2 a 0. “Naquele jogo, tivemos dificuldade para marcar o Libertad, mas agora já sabemos como marcá-los e vamos fazer a movimentação e a troca de posições o tempo todo para buscarmos o gol. O importante é também conter a ansiedade, porque, de repente, eles podem esperar para jogar no nosso erro”, indicou Kleina.

A confiança do time está em alta por vir de três vitórias consecutivas, e uma delas, sobre o Tigre, serve como modelo, ao menos, pela motivação mostrada em campo. “Precisamos manter o nosso nível de atuação, não podemos mudar nossa postura nem achar que temos que resolver de qualquer forma. Enfrentaremos uma equipe qualificada, mas temos totais condições de jogar de igual para igual, ainda mais com o apoio do nosso torcedor”, relatou o técnico.

Do outro lado, o Libertad espera repetir seu jogo consistente para continuar invicto na Libertadores – tem duas vitórias e dois empates. No Campeonato Paraguaio, a equipe está em terceiro lugar, a seis pontos do líder, mesmo jogando com força máxima. E atuará no Pacaembu sem um de seus principais jogadores: o atacante Velázquez, que fez gol no Verdão em Assunção, cumprirá suspensão.

"Sabemos da grandeza do Palmeiras e a capacidade que a equipe deles possui. Precisamos dar 110% para sair de São Paulo com um resultado positivo. Seria lindo vencer e já garantir a classificação, será muito bom, mas o Palmeiras também tem essa chance e nosso grupo está bem consciente que essa partida vale bastante para os dois lados", falou Guiñazú, volante argentino que é ídolo do Inter e comanda o meio-campo dos paraguaios.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS X LIBERTAD

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 11 de abril de 2013, quinta-feira
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Daniel Fedorzuck (Uruguai)
Assistentes: Carlos Pastorino e Carlos Changala (ambos do Uruguai)

PALMEIRAS: Fernando Prass; Ayrton, Henrique, Mauricio Ramos e Marcelo Oliveira; Márcio Araújo, Charles, Souza e Juninho (Ronny); Wesley (Caio) e Vinicius
Técnico: Gilson Kleina

LIBERTAD: Rodrigo Muñoz; Moreira, Pedro Benítez, Benegas e Samudio; Guiñazú, Aquino, Eguren e Mendieta; José Ariel Núñez e Gamarra (Mauro)
Técnico: Rubén Israel

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade