Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Kalil diz que Mineirão dá prejuízo e garante Galo no Independência

Do correspondente Wanderson Lima Belo Horizonte (MG)

O Atlético-MG realizou contra o Villa Nova o primeiro jogo como mandante no novo Mineirão, mas nem o público de mais de 47 mil pagantes parece ter motivado a cúpula alvinegra a jogar no gigante da Pampulha. O presidente Alexandre Kalil garantiu que o Galo só vai usar o Mineirão quando não tiver alternativa.

Contra o Leão do Bonfim foi assim, já que o Independência estava sendo usado pelo América-MG. Antes mesmo do duelo contra o Villa Nova, Kalil já havia informado que o Galo fará o possível para mandar, inclusive, os jogos das próximas fases da Libertadores no Independência. O dirigente revelou que já está questionando o regulamento da principal competição de clubes do continente, que exige estádio com capacidade superior a do campo do Horto nas semifinais.

“Nós temos que parar de achar que estádio bom é estádio grande. Já estamos discutindo o regulamento. O problema é ter conforto e segurança, é isso que temos que ter em estádio de futebol”, disse Kalil em entrevista ao canal ESPN Brasil.

Questionado sobre os motivos para não mandar jogos no Mineirão, Kalil foi claro ao afirmar que os clubes tomam prejuízo ao jogar no estádio. “Considerando o Mineirão com 60% de ocupação, a brincadeira Mineirão deixa de render para os clubes R$ 100 milhões por ano. Eu tenho tudo escrito”, afirmou.

Por fim, Kalil garantiu que o Independência cumpre bem as necessidades do Galo, e afirmou que o próximo presidente do Atlético-MG tem tudo para construir um estádio próprio. “O Independência atende o Atlético-MG, e acho que o Atlético-MG está preparado para o próximo presidente construir o estádio, porque é um dos poucos clubes que tem torcida para construir um estádio”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade