Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Kleina já viaja ao México reclamando de pouco tempo de adaptação

Guarulhos (SP)

O Palmeiras embarcou para o México no fim da noite deste domingo, e já foi lamentando. O técnico Gilson Kleina queria mais tempo para se adaptar na cidade que receberá o jogo de terça-feira, contra o Tijuana, o primeiro das oitavas de final da Libertadores.

“O ideal seria uma antecipação da viagem, com no mínimo dois dias para adaptação”, comentou o treinador, impedido de ter o que desejava porque o clube enfrentou o Santos nesse sábado, na Vila Belmiro, pelas quartas de final do Campeonato Paulista, e foi eliminado.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Técnico não viajou quando queria porque disputou e foi eliminado nas quartas de final do Paulista
A delegação tinha embarque marcado para as 22h55, no aeroporto de Guarulhos e chega a Tijuana, perto da fronteira entre México e Estados Unidos, às 10h55 (de Brasília). O elenco treinará no estádio Caliente, sede da partida, nesta segunda-feira e às 22h30 (de Brasília) de terça-feira enfrenta a equipe da casa.

“O voo é longo, tem o fuso-horário que faz a diferença e a grama sintética contra uma equipe acostumada a isso e que se classificou em casa”, continuou o técnico, que enfrentará quatro horas de diferença no fuso horário e, nesta semana, treinou duas vezes no campo artificial do Nacional, clube localizado em frente ao centro de treinamento do Verdão.

Até o tempo no avião gera reclamação. “Para quem joga, o desgaste é maior, mas a viagem é desgastante para todos nós. Tem o lado emocional, muda a competição e sabemos a importância do primeiro jogo. Vamos treinar um pouco e esperar que vamos fazer um grande jogo”, apostou. “Estamos batendo muito para trazermos uma vantagem para São Paulo”, completou o técnico, já pensando no duelo do dia 14, no Pacaembu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade