Futebol/Seleção Brasileira - ( - Atualizado )

Na contramão de Muricy, Neymar valoriza amistoso: “É uma honra"

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

O amistoso da Seleção Brasileira contra a Bolívia, no próximo sábado, em Santa Cruz de la Sierra, foi alvo de críticas do técnico do Santos, Muricy Ramalho. Porém, ao ser indagado sobre as declarações do treinador do Peixe, o atacante Neymar preferiu se esquivar de polêmicas e valorizou o fato de vestir a camisa canarinho, mais uma vez.

“Eu não tenho que me meter nessa história, é uma honra servir à Seleção. Espero fazer o meu trabalho da melhor maneira possível, jogar bem e ajudar a Seleção”, disse a Joia santista, após o empate do time praiano com o São Caetano, na noite da última quinta-feira, no Pacaembu.

Vale destacar que Muricy questionou bastante a realização da partida, que servirá para ajudar a família do garoto Kevin Beltrán Espada, morto ao ser atingido por um sinalizador no jogo entre San José e Corinthians, pela Copa Libertadores da América.

Com isso, a equipe alvinegra solicitou à Federação Paulista de Futebol (FPF) a antecipação do duelo com o Azulão, para poder contar com a participação de Neymar e evitar um desgaste ainda maior do seu principal jogador.

“Nós tivemos que antecipar o jogo com o São Caetano porque, infelizmente, inventaram um amistoso. Se você quer ajudar, ajuda o lado financeiro, mas usar jogador dos clubes não é certo”, opinou Muricy Ramalho, se mostrando radicalmente contra a disputa da partida, principalmente pelo fato de apenas atletas que jogam em clubes brasileiros terem sido chamados para o compromisso diante dos bolivianos.

Divulgação/Santos FC
Na noite desta quinta-feira, o Santos empatou com o São Caetano em 1 a 1

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade