Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Ney Franco se mostra seguro: "Quando precisamos vencer, vencemos"

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Mesmo com a derrota para o Corinthians, o clima atual no São Paulo é muito melhor do que nos dias seguintes ao revés para o Arsenal, há quase três semanas. O que não significa, porém, que a pressão por uma vitória sobre o The Strongest, na quinta-feira, tenha diminuído. Ainda assim, Ney Franco se mostra bem mais tranquilo do que anteriormente.

"Estou fazendo o trabalho para conseguir o resultado. Estamos nos mobilizando para um jogo que pode definir classificação à próxima fase. O momento é de concentrar todas as forças para um jogo que se tornou decisivo. Não tem outra maneira (de lidar com o momento): é ir para campo e jogar por um resultado positivo o tempo todo", disse, sereno.

Além da garantia de ficar no cargo até o fim do contrato, a não ser que os dirigentes mudem de ideia, o treinador se respalda no histórico de sucesso à frente da equipe. Campeão da Sul-americana e responsável por colocar o clube na Libertadores depois de dois anos, ele lembra ter passado por outra situação arriscada neste ano: a fase preliminar do torneio continental.

"Já passamos por outros jogos importantes na era Ney Franco, como contra o Bolívar", disse o próprio Ney Franco, que, depois de consumada a vaga, só somou quatro pontos em quatro jogos na fase de grupos. "A equipe que vai jogar é totalmente diferente da que iniciou a temporada. No único momento decisivo até agora, a gente passou. No momento que precisamos vencer, vencemos. Este é mais um momento decisivo, e a gente acredita muito na vitória".

A confiança se deve à sequência recente de bons resultados no Paulista - até mesmo a derrota no clássico foi considerada pelo bom desempenho do time. Para o comandante tricolor, o time, agora com Jadson e Paulo Henrique Ganso juntos como titulares, conseguiu se acertar.

"A expectativa é de ver o São Paulo dos últimos quatro jogos. Fizemos partidas consistentes, embora a gente não tenha vencido a última. É esse São Paulo que eu espero, com proposta de jogo, equilíbrio entre os sistemas defensivo e ofensivo. Imagino que vamos fazer um jogo do nível do clássico, mas, espero, com maior sorte no resultado", concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade