Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Ney Franco valoriza classificação e vê cobrança injusta por raça

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O São Paulo penou para avançar à semifinal do Campeonato Paulista, segundo o técnico Ney Franco, porque o Penapolense foi um grande adversário neste domingo, no Morumbi. Tanto que a vaga só veio com gol contra do time interiorano, na metade do segundo tempo.

"Essa equipe não se classificou por acaso, ficou provado. Teve uma proposta mais defensiva no primeiro tempo. No segundo, encaixou a marcação no nosso campo, e aí ficou um jogo mais aberto. O favoritismo era nosso, mas futebol não é dessa forma. Tivemos um grau de dificuldade não porque jogamos abaixo do que poderia, mas porque o jogo foi realmente equilibrado", disse.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Técnico admitiu dificuldade imposta pelo adversário ao longo dos 90 minutos do duelo no Morumbi
Parte da torcida discordou dessa avaliação e gritou raça, antes de o placar ser inaugurado, com gol contra do zagueiro Jaílton. O treinador, no entanto, saiu em defesa de seus jogadores.

"Se tem uma que não tem faltado nesta temporada é raça. Esse coro já é de costume da torcida, em alguns momentos em que o time não está ganhando. Não entramos em nenhum jogo com falta de empenho dos atletas. Se o grito era para demonstrar isso, que faltou raça, está se cometendo uma injustiça com esse grupo", comentou.

Os mesmos torcedores que cobraram empenho gritaram olé nos minutos finais. Até porque, com ou sem raça, com ou sem show, o time está garantido na semifinal da competição estadual, na qual enfrentará o rival Corinthians, daqui a uma semana, no Morumbi.

Antes disso, as atenções se voltam à Copa Libertadores. Na quinta-feira, o São Paulo abre as oitavas de final do torneio continental diante do Atlético-MG, também como mandante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade