Futebol/Bastidores - ( )

Nicolas Leoz deixa cargos na Fifa e no COL e sai da Conmebol dia 30

Luque (Paraguai)

Por motivos de saúde, Nicolas Leoz convocou entrevista coletiva nesta terça-feira para anunciar sua saída do Comitê Executivo da Fifa e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014. Após fazer referências nominais a José Maria Marin, presidente da CBF, e Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol (FPF), o dirigente paraguaio de 84 anos revelou também que deixará o cargo de presidente da Conmebol no próximo dia 30 de abril.

“Neste dia colocarei meu cargo de presidente da Conmebol à disposição dos presidentes das associações nacionais”, revelou Leoz, que foi desaconselhado por seus médicos a realizar viagens longas. À frente da entidade máxima do futebol sul-americano desde 1986, o paraguaio se submeteu a uma cirurgia de desobstrução de artéria em São Paulo, em novembro do ano passado. Os problemas cardíacos impedem sua continuidade nos cargos.

Divulgação/Fifa
Nicolas Leoz ocupa o cargo de presidente da Conmebol desde 1986; em 97, as federações determinaram que seu cargo era vitalício
Ao abrir mão dos cargos na Fifa e no COL, Nicolas Leoz agradeceu o apoio ao seu trabalho, desempenhado desde 1998 no primeiro e 2007 no segundo. “Deixo os cargos com a consciência de ter feito um trabalho sincero e honesto. A Del Nero, que siga bem no Comitê Executivo da Fifa, a José Maria Marin, que faça uma Copa do Mundo fantástica. Estarei sempre perto de todos. Me sinto muito orgulhoso de todos os meus companheiros, amigos da América do Sul. E também aos jornalistas”.

Em maio de 2012, Leoz havia anunciado que seu cargo de presidente da Conmebol era vitalício por conta de um acordo estabelecido em 1997, envolvendo os presidentes de todas as federações sul-americanas. Como concorreu sozinho a todas as eleições desde 1986, o modo de escolha do novo presidente da entidade ainda é desconhecido, mas uma eleição interna deve ser costurada para o início de junho.

Antes de assumir a presidência da Conmebol, o dirigente paraguaio foi presidente do Libertad durante 10 anos, alçando ao cargo de presidente da Liga Paraguaia de Futebol (LPF) nos períodos de 1971-1973 e 1979-1985. Com a gestão reconhecida e depois de desempenhar até a função de presidente do primeiro tribunal de justiça da Confederação Paraguaia de Basquete, foi eleito para a Conmebol exatamente no dia 1º de maio de 1986.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade