Futebol/Bastidores - ( )

Palmeirense Aldo Rebelo lamenta morte de operário na Arena Palestra

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, costuma manifestar publicamente seu carinho pelo Palmeiras. Na noite desta segunda-feira, ele lamentou o falecimento do operário Carlos de Jesus, que sofreu um acidente fatal enquanto trabalhava na construção do estádio do clube.

“Infelizmente, nem sempre as boas notícias acompanham a prática do esporte. Lamentamos a perda de uma vida na construção do estádio do Palmeiras e abraçamos a família do operário que faleceu nesse acidente”, declarou o ministro, torcedor do time alviverde.

A WTorre, construtora responsável pelas obras da Arena Palestra, decretou luto nesta terça-feira e interrompeu as atividades no canteiro de obras até quarta. Além da morte de Carlos de Jesus, o operário Crispiniano dos Santos sofreu ferimentos leves na cabeça e no punho.

Aldo Rebelo também lamentou a morte de dois torcedores antes do clássico entre Fortaleza e Ceará, disputado no domingo. Para completar, o ministro do Esporte ainda citou as explosões que vitimaram duas pessoas na chegada da Maratona de Boston, na segunda-feira.

“Também abraçamos as famílias dos dois torcedores mortos em Fortaleza e as famílias das pessoas atingidas na chegada da Maratona de Boston. São vidas que se perdem associadas ao esporte, o que é a negação do espírito olímpico”, declarou Aldo Rebelo.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
A morte de um dos operários da Arena Palestra foi lamentada pelo palmeirense Aldo Rebelo, ministro do Esporte
O ministro do Esporte se referiu à série de tragédias durante a inauguração de uma exposição sobre os Jogos Olímpicos, realizada em São Paulo. Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), também lamentou as infelicidades que marcaram o esporte recentemente.

“Eu só tenho a lamentar que essas coisas tenham invadido o mundo do esporte, que tenham trazido tristeza para um ambiente de paz. O esporte deve trazer a juventude para a cidadania e contribuir com a união dos povos. Só tenho a lamentar profundamente”, repetiu Nuzman.

 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade